Adicione o Correio do Povo nas suas redes

Notícias

Forças federais reforçarão segurança das eleições em 11 estados

Forças federais reforçarão segurança das eleições em 11 estados

domingo, 07 de outubro de 2018, às 06h 41min
Agência Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou o envio de forças federais para 513 localidades em 11 estados: Acre, Maranhão, Piauí, Rio de Janeiro, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio Grande do Norte, Tocantins e Ceará.

A atuação das forças federais nas eleições está prevista no inciso XIV do artigo 23 da Lei nº 4.737/1965 (Código Eleitoral), com a finalidade de garantir a normalidade do pleito, o livre exercício do voto e o bom andamento da apuração dos resultados.

Os pedidos aprovados pelo TSE são encaminhados ao Ministério da Defesa, órgão responsável pelo planejamento e execução das ações empreendidas pelas Forças Armadas.

O Ministério da Segurança Pública deu início na quinta-feira (4) às operações de segurança e policiamento ostensivo para garantir as eleições.

As atividades do Centro Integrado de Comando e Controle, da Secretaria Nacional de Segurança Pública, vai funcionar 24 horas por dia de hoje até 8 de outubro e de 22 a 29 de outubro. O segundo turno será em 28 de outubro. O objetivo é garantir a segurança dos eleitores durante o exercício do direito de voto e combater crimes eleitorais.

Estão envolvidos nas ações do centro 280 mil policiais militares, civis, federais, rodoviários federais, dos órgãos de trânsito e do Corpo de Bombeiros, além da Guarda Municipal de todos os estados e integrantes da Força Nacional, Forças Armadas, Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Veja como será o esquema de segurança no país.

Distrito Federal

Quase 10 mil agentes vão atuar na Operação Eleições 2018 visando garantir a segurança dos eleitores em Brasília e nas cidades-satélites neste domingo, 7 de outubro. Na prática, as ações começaram a ser realizadas no dia 3, envolvendo a escolta das urnas aos 6.713 locais de votação em todo o DF.

Segundo o planejamento operacional da segurança pública para as eleições, há 287 atividades planejadas e estarão participando 9.951 profissionais assim distribuídos: Polícia Civil (2.400), Polícia Militar (6.848), Polícia Civil (2.400), Bombeiros (623) e Detran (80).

Acre

O Acre terá atuação de forças federais em 11 municípios, além da capital, Rio Branco. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC), será realizado trabalho preventivo nos 22 municípios do estado até o fim da apuração.

O estado contará com o efetivo da Polícia Civil, delegados em todos os municípios e mais de 1.500 policiais militares para garantir a normalidade e a segurança do pleito eleitoral. Um efetivo de 1.600 homens da 17ª Brigada de Infantaria e Selva será destacado para atender municípios do Acre e do sul do Amazonas.

Amazonas

O Amazonas terá tropas federais em 27 municípios. Além das Forças Armadas, efetivos das polícias Federal, civil e militar estarão à disposição do Tribunal Regional Eleitoral para combater crimes eleitorais.

O TRE -AM contará com um gabinete de Gestão Integrada (GGI) para monitorar ocorrências relacionadas ao processo eleitoral - votação, apuração e totalização de resultados.

Ceará

O Ceará terá tropas federais em cinco municípios. Além de Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Sobral e Juazeiro do Norte receberão três mil homens do Exército que atuarão no reforço da segurança no primeiro turno das eleições.

Segundo o TRE-CE, a tropa terá militares de sete batalhões de Fortaleza, Crateús, Recife, Garanhuns, Petrolina e Salvador. Todos estão a postos desde a última sexta-feira (5) e no sábado, véspera das eleições, é feito reconhecimento das áreas de atuação.

Há um Centro de Operações do Exército, com a presença das Polícias Federal, Militar, Rodoviária Federal e Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Oficiais do Exército trabalharão com a Secretaria de Segurança Pública no Centro de Coordenação de Segurança Integrada. Além das tropas federais, 10.804 policiais e bombeiros estarão a postos.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, 40 cidades dispõem de videomonitoramento com 1.381 câmeras e seis aeronaves. O TRE-CE disponibilizará uma equipe composta por juízes eleitorais, policiais militares e servidores para recebimento de denúncias em Fortaleza no domingo (7).

Maranhão

O Maranhão terá a atuação de tropas federais em 72 municípios, além de São Luís. A Força Aérea Brasileira realizou nesta quinta-feira (4) o transporte aéreo de tropas federais que atuarão na Operação de Garantia da Votação e Apuração no estado.

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão instalou o Comitê de Segurança, composto por dirigentes da Justiça Eleitoral maranhense, Ministérios Públicos Federal e Estadual, polícias Federal, Militar, Civil, Rodoviária, Corpo de Bombeiros, Exército, Associação dos Magistrados e Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A Polícia Federal atuará em 12 cidades.

Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul contará com atuação de tropas federais para auxiliar na segurança das cidades de Amambai, Paranhos, Ponta Porã e Caarapó.

“Em Caarapó existe aldeia indígena com registro de conflitos por disputa de terras. Já Amambai, Paranhos e Ponta Porã são municípios fronteiriços, populosos, com histórico de violência e tentativa de fraude eleitoral com aproveitamento da área internacional”, informou o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS).

O TRE traçou um plano estratégico de ação para o dia da eleição com 5.175 pessoas. Além do Exército, trabalharão agentes da Polícia Federal (245), Polícia Rodoviária Federal (80), Polícia Militar (2.500), Departamento de Operações de Fronteira (36), Corpo de Bombeiros Militar (436) e Polícia Civil (74). No estado, seis municípios têm guarda municipal (Bonito, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Ladário, Ponta Porã), que estarão nas escolas municipais onde há seções eleitorais.

Mato Grosso

Mato Grosso contará com tropas federais em 19 cidades. O estado terá 4,3 mil agentes no domingo (7), segundo informou o Tribunal Regional Eleitoral. Em apoio à Polícia Federal (PF) e ao Exército, a Secretaria de Segurança Pública empregará 2.299 servidores da Polícia Militar, 1.257 da Polícia Judiciária Civil, 360 do Corpo de Bombeiros e 80 da Perícia Oficial e Identificação Técnica.

Os setores de inteligência dos órgãos de segurança estaduais e federais estão interligados por meio do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), que atuará amanhã, quando será instalado o Centro Integrado de Comando e Controle das Eleições.

Pará

O Pará terá tropas federais em 61 municípios e elas reunirão 3.700 militares. O Exército estará em 51 cidades, a Marinha em seis e a Força Aérea Brasileira em três.

A Operação Eleições - organizada pela Secretaria de Segurança Pública do Pará - contará com 7 mil agentes nos 144 municípios do estado. Além das forças federais, atuarão neste domingo 2.885 PMs e 820 policiais civis.

Um Centro Integrado de Comando Estadual foi criado para receber em tempo real informações do trabalho de agentes de segurança pública, das ocorrências de todos os municípios e das imagens das 280 câmeras de monitoramento do Centro Integrado de Operações.

Piauí

O Piauí é o estado com maior número de cidades que receberão tropas federais durante o primeiro turno das eleições. Além de Teresina, as forças federais atuarão em mais 133 municípios. Aproximadamente 1.500 homens de quatro batalhões do Exército trabalharão para garantir a votação e apuração nas 39 Zonas Eleitorais que requisitaram a força federal.

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí executará um plano de segurança composto por 4.496 policiais federais, civis e militares. A Polícia Militar atuará ainda na guarda das urnas eletrônicas em 46 cartórios eleitorais que não contam com vigilância armada.

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro, que está sob intervenção federal na área de segurança, terá a atuação de tropas federais em 69 municípios no dia da votação. O esquema de segurança para as eleições no estado contará com a participação de 40 mil agentes das forças federais e estaduais.

Com o apoio de 4.500 agentes das Forças Armadas, a PM estará presente em todas as zonas eleitorais. Todo o processo de segurança será acompanhado por representantes de várias agências, reunidos no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova.

O esquema de segurança montado pela PM para o primeiro turno das eleições de 2018 prevê 35 mil agentes, sendo 13.200 policiais extras em todo o Estado. O plano prevê escolta de urnas e policiamento nos 4.897 locais de votação.

A Polícia Civil terá o efetivo reforçado em todas as delegacias do estado. A Cidade da Polícia atuará como principal centro de custódia provisória. Haverá equipes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e da Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) de prontidão. Duzentos agentes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil reforçarão a segurança neste domingo.

Rio Grande do Norte

O Rio Grande do Norte terá a atuação das forças federais em 97 municípios. No domingo, 8.692 agentes atuarão na segurança das eleições. Também trabalharão 3.600 militares das Forças Armadas, parte procedente da Bahia, Pernambuco e Paraíba. O esquema de segurança começou hoje no estado, reunindo quase 5.000 policiais militares e civis, bombeiros, polícia de trânsito, força nacional e guardas municipais de Natal, Mossoró e Macau.

Cada local de votação terá entre dois e seis policiais no domingo. Os 1.551 locais de votação nos municípios do interior terão 2.885 policiais militares.

Tocantins

Tocantins terá tropas federais em 12 localidades, sendo 11 áreas indígenas. Além da cidade de Tocantínia, 300 homens do Exército atuarão nas aldeias Pedra Branca, Rio Vermelho, Cachoeira, Lajeado, Canoanã, Txuiri, São João, Porteira, Rio Sono, Brejo Cumprido e Funil.

O Comitê de Segurança Institucional vai garantir a segurança nas eleições por meio de uma parceria entre o Tribunal Regional Eleitoral e as forças de segurança pública, com 3.550 homens do Exército (300), Polícia Federal (35), Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil (300), Polícia Militar (1.038) e Corpo de Bombeiros (70).

Minas Gerais

Minas Gerais terá 43 mil policiais nas ruas no domingo. O Gabinete Institucional de Segurança foi instalado em agosto no estado para atuar na prevenção e repressão de distúrbios e na apuração de crimes eleitorais.

O gabinete é coordenado pela juíza diretora do Foro Eleitoral de Belo Horizonte, Andréa Miranda, e por representantes da Procuradoria Regional Eleitoral, da Procuradoria Geral de Justiça de Minas Gerais, da Secretaria de Defesa Social e das polícias Federal, Militar e Civil de Minas Gerais. No domingo, os trabalhos do Gabinete Institucional de Segurança começarão às 7h.

São Paulo

Aproximadamente 60 mil policiais militares estão mobilizados para atuar na Operação Eleições 2018 em São Paulo neste fim de semana. O policiamento será intensificado em todos os locais de votação para garantir a segurança dos mais de 32 milhões de eleitores que deverão votar nas 645 cidades do estado.

Além dos 60 mil policiais que estarão nas ruas, mais de 8 mil viaturas e 22 aeronaves participam da operação, que envolve também o Policiamento Ambiental, Corpo de Bombeiros, Policiamento de Choque, Copom (Centro de Operações da Polícia Militar), unidades administrativas e policiamento de trânsito urbano e rodoviário.

Os policiais militares serão responsáveis pela segurança dos cartórios eleitorais, dos locais de votação e dos postos de justificação e apuração.

Hoje (6), os policiais militares fazem a segurança das urnas eletrônicas e a escolta até os locais de votação. Somente na capital paulista, que conta com mais de 8 milhões de eleitores, 16 mil policiais militares ficarão responsáveis pela segurança dos 58 cartórios eleitorais e de aproximadamente duas mil escolas onde eleitores votarão.

Espírito Santo

O patrulhamento ostensivo da Polícia Militar para garantir a segurança neste domingo no Espírito Santo será reforçado a partir das 22h deste sábado (6). Ao todo, durante as eleições, serão empregados 5.100 militares, que irão atuar em todos os 78 municípios do estado, informou o TRE-ES.

Um gabinete de operações e decisões está instalado na Secretaria de Segurança Pública. As ações de polícia judiciária ficarão a cargo da Polícias Civil e Federal,que vão contar com delegados em todos os municípios. A Polícia Civil vai disponibilizar 300 servidores para trabalhar durante o pleito.

Rio Grande do Sul

O Departamento de Comando e Controle Integrado da Secretaria de Segurança Pública conta com 9 mil agentes para garantir a normalidade do pleito no domingo. A operação integra agentes da Brigada Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Superintendência dos Serviços Penitenciários, Agência Brasileira de Inteligência e Samu.

Paraná

A Polícia Militar do Paraná conta com 10 mil policiais e 1.700 viaturas utilizadas para o policiamento preventivo contra crimes eleitorais.

A PM vai atuar em parceria com as guardas municipais, Polícia Federal e com o Tribunal Regional Eleitoral.

Santa Catarina

A Polícia Militar de Santa Catarina terá 9 mil policiais que trabalharão neste domingo. A operação terá início às 23h deste sábado. O Centro Integrado de Gestão de Riscos e Desastres (Cigerd), da Secretaria de Defesa Civil, em Florianópolis, será a sede do Grupo de Segurança que vai reunir representantes dos órgãos envolvidos na operação.

Bahia

A Polícia Militar acompanha – desde hoje - a distribuição das urnas eletrônicas aos locais de votação. No domingo, será executado o plano de segurança com a Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, ABIN – Agência Brasileira de Inteligência, dentre outros.

Paraíba

A Paraíba contará com 6.680 agentes para garantir a segurança. A operação terá agentes da Polícia Militar (4.597), Polícia Civil (1.067), Corpo de Bombeiros (330), Polícia Federal (108) e Polícia Rodoviária Federal (38).

O estado trabalha com três centros de comando e controle, na capital, João Pessoa, e em Campina Grande e Patos onde estarão presentes, além das forças que compõem a ação, integrantes do Exército e da Agência Nacional de Inteligência (Abin).

Pernambuco

Pernambuco contará com 15.416 agentes de segurança pública para garantir a segurança nas eleições. Fazem parte da operação as polícias Militar, Civil e Científica, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, entre outras instituições.

O estado conta com a implantação de três Centros Integrados de Comando e Controle, em Recife, Caruaru e Serra Talhada. A operação foi iniciada quinta-feira (4).

Alagoas

Alagoas contará com mais de 4 mil policiais militares para atuar domingo. Desse total, 1.796 militares estarão em 11 municípios da Região Metropolitana de Maceió e 2.711 em 91 municípios.  

A Polícia Civil empregará amanhã 1.200 pessoas, entre delegados, escrivães e agentes de polícia. O Corpo de Bombeiros de Alagoas terá mais de 200 integrantes, e o Grupamento Aéreo dará apoio em todo Estado. Nas delegacias de Maceió e do interior, os plantões terão início às 18 horas deste sábado, indo até o fim do primeiro turno.

Sergipe

Em Sergipe, o plano de segurança foi montado pelas polícias militar e civil, Corpo de Bombeiros e Guardas Municipais. As ações vão abranger 1.098 locais de votação. Desde quinta-feira, o 28º Batalhão de Caçadores do Exército colocou à disposição 715 oficiais que podem ser acionados caso haja necessidade.

Rondônia

O Estado de Rondônia contará com 2.960 profissionais de segurança atuando no domingo. Os orgãos estaduais de segurança trabalharão em conjunto com representantes das forças federais em uma central de comunicação integrada montada no TRE-RO, onde serão monitoradas as ocorrências durante o pleito.

Amapá

O esquema de segurança para este domingo no Amapá reunirá cerca de dois mil profissionais do Exército, polícias Federal e Militar, Aeronáutica, Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros. Segundo o TRE, há no estado 97 locais de difícil acesso, onde existem 35.297 mil eleitores, número que representa 7% do eleitorado amapaense. Cinquenta pessoas, entre coordenadores e técnicos de urna, policiais e bombeiros viajaram na tarde de sexta-feira (5) para levar o serviço de votação para oito comunidades ribeirinhas.

Goiás

O estado de Goiás utilizará 13 mil policiais militares para garantir a segurança nos 2.400 locais de votação em Goiânia e em outros municípios.

Roraima

Procurado pela Agência Brasil, o Tribunal Regional Eleitoral de Roraima não informou qual será o plano de segurança para o estado no domingo.


Edição: Kleber Sampaio

HOJE O PODER ESTÁ EM SUAS MÃOS. É VOCÊ QUEM DECIDE SE PAÍS MUDA OU CONTINUA

HOJE O PODER ESTÁ EM SUAS MÃOS. É VOCÊ QUEM DECIDE SE PAÍS MUDA OU CONTINUA

domingo, 07 de outubro de 2018, às 06h 28min
Da Redação




De quatro em quatro anos você tem uma única oportunidade de decidir sobre o futuro de seu País e de seu Estado. Na eleição de hoje não será diferente.

O eleitor é o dono da situação. Ele tem a oportunidade de promover mudanças radicais ou permitir que o sistema continue como está. O único problema é que a maioria não terá o direito de reclamar depois.

A campanha eleitoral de 2018 ficará para a história do Brasil como sendo o ano em que se iniciou um embate entre povo e poder. O Sistema contra a Nação. Apenas não se sabe o certo de que lado às duas partes está. A revelação será o resultado de seu voto.

Podemos comemorar o início de um novo País já a partir das 17 horas deste domingo, 7 de outubro. Ou também podemos nos manter inertes e declararmos que estamos contentes com o atual momento em que vive o Brasil.

Hoje, somente hoje, é você quem decide. O PODER ESTÁ EM SUAS MÃOS.

Não se esqueça: Leve sua cola eleitoral para facilitar na hora do voto. Você pode votar com a camisa ou santinho de seu candidato.

Respeite a opinião das outras pessoas. Contribua com a limpeza de sua cidade. Não jogue papéis nas ruas.

Leve o título e um documento com foto para o local de votação. Pode ser a identidade ou a carteira de motorista (CNH). Exerça sua cidadania.

A votação inicia às 8 horas e termina às 17.

Que seja feita a sua vontade.


TUDO SOBRE A ELEIÇÃO AQUI:
http://www.tse.jus.br/


CORREIO DO POVO E PORTAL BENÍCIO





Saiba tudo sobre as eleições 2018, inclusive sua situação eleitoral

Saiba tudo sobre as eleições 2018, inclusive sua situação eleitoral

sábado, 06 de outubro de 2018, às 06h 54min

Clic no link abaixo e saiba todas as informações sobre seu título eleitoral, os candidatos, locais de votação, denúncias e outras informações importantes para o pleito 2018.

http://www.tre-to.jus.br/

CARLESSE VAI A 59% NOS VOTOS VÁLIDOS E 52% COM INDECISOS

CARLESSE VAI A 59% NOS VOTOS VÁLIDOS E 52% COM INDECISOS

sexta, 05 de outubro de 2018, às 15h 26min

Correio do Povo



Na última pesquisa da eleição para governador 2018, realizada no Tocantins de 29 de setembro a 3 de outubro com 1.300 eleitores, o Correio do Povo registrou a possibilidade de decisão já no primeiro turno, com o candidato Carlesse (PHS) liderando em relação aos demais concorrentes. O que mais se aproxima do líder continua sendo Amastha, do PSB. O candidato Márlon Reis (Rede) novamente não reagiu, o que deve contribuir para o resultado favorável ao atual Governador.

Novamente, a pesquisa de intenção de voto foi realizada apenas nos quesitos Estimulada e Rejeição. Na fase final da campanha o Correio do Povo exclui a questão Espontânea para o cargo de Governador.

PESQUISA ESTIMULADA



Se as eleições fossem hoje, o candidato Carlesse (PHS) seria eleito com 52% dos votos. Amastha (PSB) teria 27%. O terceiro colocado continua sendo Márlon Reis (Rede) com 7%. Cesar Simoni (PSL) e Bernadete (PSOL) teriam 1% cada. Eleitores indecisos ou que não sabem em quem votar 12%.

MARGEM DE ERRO

Utilizando a Margem de Erro, que é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, Carlesse vai a 55% para mais ou 49% para menos. Amastha iria a 30% para mais ou 24% para menos, e Márlon Reis 10% para mais ou 4% para menos. Bernadete e Simoni 4% para mais ou não pontuariam.

DESENVOLVIMENTO

A pesquisa estimulada mostrou crescimento de Carlesse em 2% em relação à última do Correio do Povo, publica dia 24 de setembro. Antes Carlesse tinha 50% e foi a 52%. O candidato Amastha tinha 25% e também cresceu 2%. Ele foi a 27%. Já o candidato Márlon Reis permanece abaixo dos 10%. Na pesquisa anterior ele apareceu com 8%, caiu 1 ponto, e foi a 7%. O número de indecisos caiu de 16 para 12% e os demais candidatos permanecem na mesma situação.

APENAS OS VOTOS VÁLIDOS

Carlesse pode vencer a eleição com mais de 60% dos votos válidos. O momento revela que o resultado neste quesito, que é o utilizado na contagem da Justiça Eleitoral, ele tem 59% contra 31% de Amastha e 8% de Márlon Reis. Simoni teria 2%.

REJEIÇÃO

Questionados sobre em quem Não Votariam de Jeito Nenhum, os entrevistados novamente apontaram o candidato do PSB, Amastha, liderando com 36%. Carlesse é o segundo mais rejeitado com 17%. Márlon tem 12% de rejeição, Bernadete 8% e Cesar Simoni, 6%. Entre os eleitores que não sabem quem rejeitar ou que estão indecisos 21%.

DADOS DA PESQUISA

A pesquisa Correio do Povo foi realizada com 1.300 eleitores de 60 municípios das regiões norte, sul, sudeste e centro do Estado do Tocantins, de 29 de setembro a 3 de outubro. A Margem de Erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e Margem de Acerto de 95%. O levantamento foi registrado junto à Justiça Eleitoral sob número TO-07604/2018.

 

BOLSONARO LIDERA COM FOLGA NO TOCANTINS

BOLSONARO LIDERA COM FOLGA NO TOCANTINS

sexta, 05 de outubro de 2018, às 05h 33min

Do Correio do Povo




A eleição para presidente da República, no Tocantins, tem o candidato Bolsonaro, do PSL, liderando com folga. O segundo colocado é o petista Haddad. Ciro Gomes vem em terceiro seguido de Marina e Alkmin.

Se as eleições fossem hoje, Bolsonaro teria 51% dos votos dos tocantinenses. Haddad seria o segundo colocado com 19% e Ciro Gomes o terceiro com 8%, e Alkmin 5%. Marina Silva tem 3%, Meireles e Cabo Darciolo aparecem com 2%. Os demais candidatos não pontuaram. 10% estão indecisos ou não sabem em quem votar.

DADOS DA PESQUISA

A pesquisa Correio do Povo foi realizada com 1.300 eleitores de 60 municípios das regiões norte, sul, sudeste e centro do Estado do Tocantins, de 29 de setembro a 3 de outubro. A Margem de Erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e Margem de Acerto de 95%. O levantamento foi registrado junto à Justiça Eleitoral sob número BR-05216/2018.
 

SENADO TEM A MAIOR DISPUTA DA HISTÓRIA DO ESTADO

SENADO TEM A MAIOR DISPUTA DA HISTÓRIA DO ESTADO

sexta, 05 de outubro de 2018, às 05h 29min

Do Correio do Povo


Nunca na história do Tocantins a disputa às duas vagas ao Senado foi tão concorrida como em 2018. Pelo menos 6 dos 9 candidatos têm chance de vencer a eleição.

Três deles estão embolados na primeira colocação. É o caso de Vicentinho, Eduardo Gomes e Ataídes Oliveira. Irajá Abreu, Paulo Mourão e Cesar Halum vêm logo em seguida. A diferença entre os dois eleitos e os demais será semelhante à eleição de 2014, na disputa entre Eduardo Gomes e Kátia Abreu.



Se as eleições fossem hoje, para a primeira vaga de Senador, Eduardo Gomes (SD), Vicentinho (PR) e Ataíde (PSDB) teriam 17% cada. Irajá (PSD) vem logo em seguida com 16%. Paulo Mourão (PT) e Cesar Halum (PRB) com 11% cada. Antônio Jorge (PSL) aparece com 2%. Farley Meyer e Melk Aires aparecem cada um com 1%. Eleitores indecisos ou que não sabem em quem votar, 7%.

Entre os candidatos ao Senado que mais cresceram nos últimos dias de campanha estão Ataídes Oliveira e Eduardo Gomes. A aceitação dos dois candidatos foi registrada em todas as regiões do Estado.

DISPUTA SE REPETE NA SEGUNDA VAGA AO SENADO



A segunda vaga de Senador também tem disputa acirrada entre os principais candidatos. Se as eleições fossem hoje, Eduardo Gomes e Vicentinho teriam 15%. Ataídes e Irajá 14% e Cesar Halum 11%. Paulo Mourão viria com 10%. Na sequência, Antônio Jorge com 2%, Farley Meyer tem 2% e Melk Aires com 1% cada. Eleitores indecisos ou que não sabem em quem votar para a segunda vaga de Senador, 16%.

Os eleitos para esses cargos só serão conhecidos após o final da apuração devido ao bom desempenho que a maioria tem perante o eleitor. O levantamento mostra que o crescimento contínuo de Ataídes Oliveira e Eduardo Gomes pode surpreender no resultado final.

DADOS DA PESQUISA

A pesquisa Correio do Povo foi realizada com 1.300 eleitores de 60 municípios das regiões norte, sul, sudeste e centro do Estado do Tocantins, de 29 de setembro a 3 de outubro. A Margem de Erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e Margem de Acerto de 95%. O levantamento foi registrado junto à Justiça Eleitoral sob número TO-07604/2018.

 


 

ACIP orienta sobre funcionamento comercial em Paraíso no feriado desta sexta, 5

ACIP orienta sobre funcionamento comercial em Paraíso no feriado desta sexta, 5

quinta, 04 de outubro de 2018, às 15h 32min

Ascom

A Associação Comercial e Industrial de Paraíso do Tocantins (ACIP) publicou nota orientando o funcionamento do comércio do município no feriado do dia 5 de outubro, sexta-feira, Dia da Criação do Tocantins.

De acordo com a associação, fica facultado às empresas do ramo alimentício o funcionamento no feriado, desde que sejam observadas a Lei Federal Nº 11.603/2017, que autoriza o trabalho aos domingos nas atividades do comércio em geral, e a Convenção Coletiva de Trabalho do Tocantins 2016/2017.

MPF pede condenação de Lula em ação que envolve instituto

MPF pede condenação de Lula em ação que envolve instituto

quinta, 04 de outubro de 2018, às 15h 19min
Terra

O Ministério Público Federal reiterou em alegações finais nesta quinta-feira, 4, pedido pela condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação penal sobre supostas propinas da empreiteira Odebrecht, que incluiriam um terreno de R$ 12 milhões que abrigaria o Instituto Lula e uma cobertura vizinha à residência do petista, de R$ 504 mil, em São Bernardo. A Operação Lava Jato pede que o petista seja condenado por nove atos de corrupção passiva e por sete atos de lavagem de dinheiro.

Lula está preso desde abril em Curitiba, base da Operação Lava Jato. O petista foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso triplex.

A Procuradoria da República, no Paraná, pede ainda a condenação do ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda/Casa Civil, Governos Lula e Dilma), seu braço direito Branislav Kontic, os empresários Marcelo Odebrecht e Paulo Melo, da Odebrecht, Demerval de Souza Gusmão Filho, o engenheiro Glaucos da Costamarques e o advogado Roberto Teixeira.

No documento de 408 páginas, o Ministério Público Federal cobra de Lula R$ 75.434.399,44. O montante corresponde "ao valor total da porcentagem da propina paga pelo Grupo Odebrecht em razão das contratações dos Consórcios Conpar, Refinaria Abreu e Lima, Terraplanagem Comperj, Odebei Plangás, Odebrei Flare, Odetech e Rio Paraguaçu".

As alegações finais dedicam 86 páginas para "a atuação de Lula no exercício da Presidência da República". Em um dos trechos, os procuradores afirmam que Lula "foi o principal responsável pelo esquema de macrocorrupção estabelecido na Administração Pública Federal, destacadamente a distribuição das Diretorias da Petrobrás, com vistas à arrecadação de propinas, em benefício do enriquecimento de agentes públicos, da perpetuação criminosa no poder e da compra de apoio político de agremiações a fim de garantir a fidelidade destas ao governo federal".


Scarpa: Como foi o acordo entre jogador, Fluminense e Palmeiras que encerrou interminável guerra jurídica

Scarpa: Como foi o acordo entre jogador, Fluminense e Palmeiras que encerrou interminável guerra jurídica

quinta, 04 de outubro de 2018, às 15h 15min
ESPN

Na última quarta-feira. o Fluminense divulgou um comunicado dando enfim um desfecho à interminável "novela" Gustavo Scarpa.

O clube carioca anunciou que chegou a um acordo junto com o meia e o Palmeiras, colocando um ponto final na disputa judicial que se arrastou praticamente durante 2018 inteiro.

O arranjo funcionou a partir do ponto em que Scarpa topou abrir mão de uma boa quantia.

Funcionou da seguinte forma: quando o meia conseguiu sua rescisão na Justiça, em janeiro deste ano, o Palmeiras negociou diretamente com o atleta e seus representantes o pagamento de 6 milhões de euros (R$ 26,85 milhões) por 100% de seus direitos.

O clube carioca anunciou que chegou a um acordo junto com o meia e o Palmeiras, colocando um ponto final na disputa judicial que se arrastou praticamente durante 2018 inteiro.

O arranjo funcionou a partir do ponto em que Scarpa topou abrir mão de uma boa quantia.

Funcionou da seguinte forma: quando o meia conseguiu sua rescisão na Justiça, em janeiro deste ano, o Palmeiras negociou diretamente com o atleta e seus representantes o pagamento de 6 milhões de euros (R$ 26,85 milhões) por 100% de seus direitos.

Desse montante, o jogador ficaria com 1,5 milhão de euros (R$ 6,71 milhões) - segundo mostrou a ESPN em maio, ele ainda não havia recebido a quantia por conta dos problemas jurídicos.

No entanto, ele topou ceder esse valor ao Flu, finalizando de vez a briga que perdurava nos tribunais.

Com isso, ao invés do Verdão repassar o dinheiro a Scarpa, deu ao Fluminense, e ainda conseguiu economizar, já que anteriormente os cariocas chegaram a pedir 4 milhões de euros (R$ 17,9 milhões) para colocar um ponto final no caso.

Em situação financeira complicada, a equipe da Laranjeiras ganha um reforço nos cofres para pagar os salários e direitos de imagem do elenco, que estão atrasados, e em troca retira as ações que ainda tinha na Justiça contra seu ex-jogador.

O time tricolor ainda ficou com um percentual de uma possível futura venda de Scarpa.

Com isso, Gustavo agora tem todas as condições legais para defender o Verdão, com quem assinou em janeiro deste ano após rescindir seu contrato com o Flu através de uma liminar, alegando falta de pagamento de salários, direitos de imagem e FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

No momento, o meia está recém-recuperado de lesão e próximo da volta aos gramados. Seu último jogo foi na vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, em 12 de agosto, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro.

Na temporada, ele tem 15 jogos e 2 gols pelo Alviverde.

Antes do acordo, a briga jurídica estava no TST (Tribunal Superior do Trabalho), em Brasília, que havia marcado uma sessão para 9 de outubro para seguir julgando o caso. Agora, porém, a questão será encerrada de vez.


 

‘Eu tinha convicção que conseguiria ajustar as coisas’, diz Barbieri, ex-técnico do Flamengo

‘Eu tinha convicção que conseguiria ajustar as coisas’, diz Barbieri, ex-técnico do Flamengo

quinta, 04 de outubro de 2018, às 15h 07min

Cinco dias após ser demitido do Flamengo, o técnico Mauricio Barbieri, de cabeça mais fria, falou sobre o assunto. E ele acredita que teria conseguido tirar o Rubro-Negro da fase ruim caso tivesse continuado.

“É sempre complicado falar de justiça, mas o meu desejo era permanecer. Eu tinha convicção que conseguiria ajustar as coisas. Eu teria mais tempo para trabalhar agora. Eu tinha respeito do vestiário. Mas a decisão é da diretoria”, afirmou o treinador ao Sportv.

Barbieri chegou a ser líder do Campeonato Brasileiro com o Flamengo. Mas, com a saída de alguns jogadores como Vinicius Júnior e a queda de produção principalmente do setor ofensivo, o Rubro-Negro foi eliminado da Libertadores, da Copa do Brasil e caiu para a quinta colocação no nacional.

Barbieri foi substituído no Flamengo por Dorival Júnior. O técnico, que já havia comandado o Flamengo entre 2012 e 2013, fez a sua estreia no empate em 0 a 0 contra o Bahia. O segundo jogo será contra o Corinthians, nesta sexta-feira.

 

Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo 
Portal Benício - Compromisso com a Verdade - Todos direitos reservados
Rua Araguaia, 600. Centro - Paraíso do Tocantins - (63) 3602-1366 - 9.9975-8218 - elvecinobenicio@hotmail.com
Desenvolvido por ArtemSite - Tecnologia em Internet | Agência Digital | Criação de Sites, Marketing Digital e Hospedagem Web