Adicione o Correio do Povo nas suas redes

Notícias

EM PARAÍSO: Hospital fecha 'necrotério' e mortos terão que sair da cidade

Da Redação



HRP - ESPAÇO ERA UTILIZADO PARA PREPARAÇÃO DE CORPOS

Apesar dos seus mais de 55 mil habitantes, da estrutura de quinta maior cidade do Estado e polo de uma regional, Paraíso do Tocantins enfrenta um novo problema, além dos já existentes: a falta de necrotério para tratar os corpos dos moradores que falecem.

O problema se alastrou esta semana, após a direção do Hospital Regional local decidir fechar de vez o espaço que era utilizado pelas funerárias para preparar corpos para velório.
No Hospital, a informação dada à nossa reportagem é que o fechamento do espaço para esse tipo de serviço segue orientação da vigilância sanitária. O local está sendo reformado e servirá apenas para guardar corpos até serem recolhidos pelas funerárias.

A direção alega que desde quando foi construído, há mais de 25 anos, o hospital tem permitido que as funerárias realizassem os serviços de preparação dos corpos dentro da Unidade, mesmo sem ter estrutura adequada, e sem autorização da Vigilância, apesar das inúmeras reuniões alertando para o problema. A determinação de impedimento estaria seguindo orientação da fiscalização.

Um dos exemplos desse grande problema 
na cidade ocorreu na última quinta-feira,8, e que provocou grandes transtornos à família, foi o caso de uma servidora da prefeitura municipal, que faleceu na noite de quarta para quinta-feira passada.


Mesmo tendo morte natural (SDO) e seu corpo ter sido encaminhado ao IML, a família ainda teve que aguardar o dia todo para velar o corpo de mulher, que foi entregue às 20h30min. Ou seja, mais de 18 horas após o falecimento. Ela foi sepultada às 10h desta sexta, 9.

O motivo? Não havia local para preparar o corpo, tendo a funerária responsável que levar  o corpo para Palmas. Ou seja, com o fechamento do necrotério do Hospital Regional, 5 das 6 funerárias da cidade têm que levar os corpos de seus clientes para serem preparados em outras cidades.

A mesma situação acontece nesta sexta-feira. O cliente de uma das funerárias faleceu e ele está sendo preparado fora de Paraíso. A família é obrigada a aguardar.

ATRASO

A cidade de Porto Nacional tem duas salas para preparação de corpos para velórios dentro dos cemitérios. Gurupi, no sul do Estado, tem outras três. Paraíso nenhuma.

Esse deveria ser um problema das empresas funerárias, mas durante muito tempo as interferências de políticos locais mantiveram o necrotério do Hospital local, mesmo ilegal, em benefício das funerárias, mas não aprovado pela vigilância sanitária.

APENAS UMA

Apesar de haver 6 funerárias na cidade, apenas uma delas tem uma sala de tanatopraxia (tanato/ ou necrotério como é popularmente conhecido) apto a realizar esse tipo de trabalho.

Outra funerária da cidade já construiu o que seria uma sala ampla, moderna e com todos os aparelhos exigidos, mas foi liberada apenas pela vigilância municipal e seus proprietários aguardam a aprovação da vigilância estadual. Os corpos de seus clientes estão sendo levados para outras cidades.

PREFEITURA

Na prefeitura municipal, nossa reportagem foi informada de que um terreno amplo foi liberado em agosto, com exceção de uso para as funerárias durante 10 anos. O local seria o novo cemitério da cidade, o Memorial Park, localizado em frente ao aeroporto, região oeste da cidade.

Mas para entrar em funcionamento, a Associação que representa as empresas funerárias terá que construir a clínica de ‘tanato’ (necrotério) dentro dos padrões exigidos pela ABNT.

Existe a previsão de que a construção da obra inicie em janeiro de 2019.

ENQUANTO ISSO...

Enquanto as autoridades e empresas funerárias não tomam uma decisão prática sobre o assunto, a população de Paraíso continuará sofrendo os transtornos nos momentos mais difíceis: quando perdem um ente querido.

Por carência e falta de estrutura, as famílias verão os corpos de seus entes perambulando Estado a fora em busca de um preparo para que ocorra um velório.

Devido ao problema, a previsão é que muitas ocorrências e reclamações virão de encontro às autoridades.

Esse assunto é antigo, porém, o que era guardado a sete chaves não tem mais como ficar escondido.

O Hospital Regional de Paraíso fechou o ‘necrotério’...


 

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.
Portal Benício - Compromisso com a Verdade - Todos direitos reservados
Rua Araguaia, 600. Centro - Paraíso do Tocantins - (63) 3602-1366 - 9.9975-8218 - elvecinobenicio@hotmail.com
Desenvolvido por ArtemSite - Tecnologia em Internet | Agência Digital | Criação de Sites, Marketing Digital e Hospedagem Web