Dois Morreram: Homem que perdeu a perna em acidente na TO-080 foi levado a dois hospitais antes de chegar a Paraíso. Motorista se evadiu do local

0
1773

Da Redação

 

Um acidente ocorrido por volta das 18h50 do último sábado, 9, na TO-080, entre Divinópolis e Marianópolis vitimou duas pessoas. O fato, que envolveu um veículo Fiesta, de cor branca e placa MWH-7758, de Divinópolis, e uma moto, gerou grande repercussão na mídia local.

No entanto, algumas informações ainda não haviam sido divulgadas. Até então, o que se tem conhecimento é que uma das vítimas, Joaquim Gomes de Barros, de 56 anos, teria sido encaminhado direto do local do acidente para o Hospital Regional de Paraíso do Tocantins.

Na realidade, antes de seguir para Paraíso, ele foi levado a dois hospitais, o de Marianópolis, e o hospital de Divinópolis. Nesses locais a vítima não recebeu atendimento e o sangramento não foi estancado. O veículo utilizado como transportes foi uma caminhonete da prefeitura de Marianópolis.

Nenhuma descrição de foto disponível.

O mesmo, segundo sua família, não aconteceu em Paraíso do Tocantins. Joaquim foi então levado ao Hospital Geral de Palmas- HGP, onde não resistiu e morreu devido ao grave sangramento. Seu companheiro, Francisco R. da Silva, morreu no local do acidente. Os dois tiveram a perna esquerda decepada devido à violência da batida.

TRÂNSITO E BEBIDA

No veículo que provocou o acidente, foram encontradas várias latas de cerveja e o motorista, ainda não teve o nome divulgado, se evadiu do local. Um caminhoneiro contou à polícia que ele teria tentado ultrapassá-lo em alta velocidade, quando atingiu a moto.

Na verdade, a morte de Joaquim Gomes de Barros e seu amigo Francisco R. da Silva foram provocadas por uma série de fatores que envolvem negligência médica e de trânsito. Por não prestar socorro às vítimas, o motorista do veículo deixa claro que alguma coisa havia de errado. E, por não ser atendido em três hospitais, Marianópolis, Divinópolis e Paraíso, é a vez de o sistema da saúde mostrar que está falido, sem falar no transporte de vítima grave em carroceria de caminhonete.

Apesar de receberem bons salários nesses municípios, a ausência de médicos se torna uma situação corriqueira.

A perícia deverá confirmar as informações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui