“Quantas vezes escolhemos ladrões para cuidar de nós?” Perguntou Padre em Missa de Ramos campal em Paraíso

0
1255

Da Redação

Domingo de Ramos foi o dia em que Jesus entrou em Jerusalém, aclamado por uma grande multidão. Isso aconteceu no domingo antes de sua morte e ressurreição, e o acontecimento costuma ser lembrado por cristãos no domingo antes da Páscoa. O Domingo de Ramos ganhou seu nome por causa dos ramos colocados no chão diante de Jesus.

Na Missa de Ramos deste domingo, na escadaria da Serra do Estrondo, em Paraíso do Tocantins, o padre Walteir, Pároco da cidade, destacou a importância deste dia que mostra o dúbio comportamento da comunidade judaica em relação a Jesus.

Em sua homilia, o Celebrante lembrou que 7 dias após exaltar Jesus com ramos colocados por onde ele passava, a multidão o negou no primeiro plebiscito da história da humanidade, quando a população judaica preferiu soltar um ladrão a decidir pela liberdade de Jesus. Na época, Barrabás foi libertado e Jesus condenado.

Ele ainda lembrou que a pergunta feita por Pilatos à multidão significou a primeira vez que foi dado ao povo o direito de votar. “E na primeira vez que teve a oportunidade de decidir o povo agiu contra os ensinamentos de Jesus” ressaltou.

“Quantas vezes escolhemos ladrões para cuidar de nós?” perguntou o Padre ao público que compareceu à Missa de Ramos no alto da Serra. Ele se referia às mudanças de comportamentos que a comunidade costuma ter em relação à vida.

A celebração iniciou com procissão saindo da Capela do Espírito Santo, no Setor Serrano II, e seguindo até o Centro de Vivência na Escadaria da Serra. Padre Walteir agradeceu à dedicação da prefeitura pela estrutura montada no local da Missa e pediu que a comunidade presente rezasse uma Ave Maria pela saúde do prefeito Moisés Avelino, que foi diagnosticado com tumor ósseo no no fêmur. Ele foi representado pelo vice Celso Moraes.

POUCO PÚBLICO

Pela primeira vez em 15 anos, a Missa de Ramos na escadaria da Serra do Estrondo teve um público considerado pequeno, em relação aos anos anteriores. O motivo foi o fato de a Igreja Católica ter optado por realizar a mesma Missa em todas as igrejas da cidade, principalmente na Igreja Matriz.

O público foi dividido, o que compromete a tradição de uma Missa campal que iniciava oficialmente a programação da Semana Santa em Paraíso. O assunto deve ser discutido devido ao grande investimento que é feito pela prefeitura. Antes mais de mil pessoas compareciam. Hoje, pouco mais de 250 fiéis compareceram. Os demais foram para as igrejas.

A PROCISSÃO:

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui