“Comemorações sobre doença de Avelino mostra que Paraíso tem pessoas com distúrbios psicológicos semelhantes aos criminosos da escola de Suzano”

2
3793
PREFEITO DE PARAÍSO DO TOCANTINS, MOISÉS AVELINO

Da Redação

 

O titulo acima se refere à explicação de um profissional de saúde do Estado que pediu para não ser identificado, e que diz respeito a uma série de postagens feitas por moradores (polítiqueiros) de Paraíso, a grande maioria vinda de pessoas que seguem um padrão Fake News, muito utilizado na cidade nos últimos tempos.

Segundo o Especialistas, quando nos é dado a oportunidade de tomar conhecimento de algo como a informação sobre o problema de saúde que foi diagnosticado no prefeito Moisés Avelino, o certo seria aproveitarmos para fazermos uma avaliação da própria vida.

No entanto, ainda segundo ele, quando alguém se propõe, de imediato, comemorar a situação e fazer questão de publicá-la em redes sociais, isso demonstra se tratar de inveja, doença interna e desgosto por algo não realizado.

O Profissional também chama a atenção sobre os interesses inerentes neste tipo de comportamento. De acordo com ele, quem se atreve a essa genérica exposição busca algum tipo de benefício ou está sendo manipulado. Ressalta ainda que no momento, Paraíso revive muitas situações já ocorridas no passado e que, “grupinhos liderados por malfeitores assumem as redes sociais para denegrirem quem quer que seja independente do assunto”.

“É maléfica a pessoa que faz esse tipo de comentário. Seu psicológico pode ser comparado aos daqueles jovens que causaram aquela matança na escola de Suzano, em São Paulo. Esse tipo de gente só consegue dormir se tiver a certeza de que fez mal a alguém. Na realidade, elas estão mal consigo mesmas” disse o Profissional ouvido pelo Portal Benício.

O prefeito Moisés Avelino pediu afastamento por 45 dias para tratamento de saúde após ser diagnosticado com um tumor ósseo no fêmur. Ele viajou a Barretos para tratar da doença. Em seu lugar assume o vice Celso Moraes, em posse que será dada pela Câmara de Vereadores nesta quarta-feira, 17 de abril.

A divulgação do problema Avelino, em primeira mão pelo Portal Benício, gerou comoção à população paraisense. Porém, pessoas que teriam o perfil detalhado pelo profissional de saúde comemoraram a situação e causaram revolta aos seus amigos, companheiros de partido e eleitores.

Em Paraíso do Tocantins, as redes sociais estão sendo utilizadas como instrumento para denegrir gestores, seja do Executivo, seja do Legislativo. Propositalmente, a maioria dos comentários advém de um grupo liderado por uma pessoa que seria especialista em Fake News. Essas mesmas pessoas também estariam com a polícia em seu encalço por esquemas que foram cometidos no passado.

Pra finalizar, o especialista explicou: “os mentores se escondem atrás de cidadãos com pouco conhecimento, semianalfabetos e que por algum motivo estão revoltados com sua própria vida. Comemorar uma doença grave em alguém demonstra claramente que o principal doente é o autor dos comentários” finalizou.

Os comentários maldosos foram publicados em grupos de Whatsapp e Facebook. Em muitos casos, o autor é Fake News ou de pessoas com interesses em levar vantagens em alguma situação obscura.

PREFEITO AVELINO DURANTE ENTREGA DE UNIFORMES A ESTUDANTES DA REDE MUNICIPAL

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Na verdade, essa não é uma realidade local, mas, infelizmente, nacional. O fenômeno que se convencionou chamar de “facke news (notícias e informações falsas),” ao contrário do que pensa o senso comum, não é exclusividade da atualidade, mas é algo que tem se propagado maciçamente nos últimos tempos com o advento da relativa inclusão digital e popularização das redes sociais (tais quais o WhatsApp, Facebook, Twitter e YouTube). Só que o que antes era geralmente utilizado como trolagens (pegadinhas), se tornou uma crucial e poderosa engrenagem da máquina propagandística da campanha eleitoral do atual presidente e, consequentemente, de vários outros candidatos do espectro da direita e extrema direita. A maciça difusão de notícias e informações falsas numa era em que praticamente todos tem acesso à Internet foi extremamente impactante devido ao triste fato de que a maior parte da população brasileira ser composta de analfabetos funcionais. Ou seja, o Brasil praticamente erradicou o analfabetismo nas últimas décadas, mas omitiu ou ignorou o fato de que os “alfabetizados,” embora soubessem ler e escrever minimamente, não adquiriam as habilidades necessárias para compreender e interpretar textos e operações da matemática básica. Então sem consciência crítica e a capacidade de discernimento necessária para reconhecer as facke news, o brasileiro médio foi alvo fácil. As facke news somadas a uma bem sucedida campanha de difusão de ódio, preconceitos e intolerâncias, proporcionou a ascensão meteórica do atual presidente, junto a seus filhos e aliados, e promoveu o sinistro nascimento de uma nova era, onde preconceitos e intolerâncias antes latentes e implícitos, agora tornaram-se explícitos e até motivos de orgulho. As pessoas canalizaram seu ódio e frustração contra o outro a quem eles acreditam ser seus inimigos. Daí a comemoração da morte da esposa e neto do Lula… do assassinato da Marielle Franco… da doença que aflige o Avelino ou quando a polícia mata negros e pobres nas favelas (quem ler comentários dos portais de notícias sabe bem disso). São tempos sombrios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui