Porto Nacional: Travessia rápida faz movimento da balsa aumentar consideravelmente

0
910

Da Redação

Três balsas grandes, duas em ação e uma de reserva. É a estrutura que está sendo oferecida ao público pelo Governo na travessia do Lago em Porto Nacional, após a interdição da ponte local.

Vídeo no local

Os serviços rápidos das balsas estão fazendo com que caminhões e ônibus que antes teriam que passar por Paraíso, voltem a trafegar pela TO-255, que liga a BR-153 ao município de Porto, caminho mais fácil para quem trafega da região sul do País e do Estado, para chegar à capital Palmas. Outra opção seria a TO- 454/455 entre TO-080 e Porto Nacional, porém ainda pouco utilizada devido às curvas e subidas.

A imagem pode conter: carro, céu e atividades ao ar livre

A reportagem do Portal Benício esteve no local nesta quinta-feira, e registrou o grande movimento. Segundo pessoas que trabalham no porto da embarcação e motoristas que utilizam a balsa todos os dias, a travessia dura cerca de 20 minutos apenas.

Com isso, as reclamações em relação à interdição da ponte praticamente não existem mais. O Governo do Estado atendeu às reivindicações sobre gratuidade na travessia e a população passou a entender que os 20 minutos de viagem de balsa para chegar do outro lado lago vale mais do que o risco de uma tragédia na ponte.

“É melhor assim. A gente que passa por aqui todos os dias sabe que o risco de um acidente na ponte era sério e que o governo acertou ao impedir a passagem por lá. Agora queremos que ela seja construída o mais rápido possível” disse um fazendeiro da região.

Com Bolsonaro

No dia 17 de abril, o governador Mauro Carlesse esteve com o presidente da República, Jair Bolsonaro, quando pediu a liberação de R$ 130 milhões para execução da obra de construção da nova ponte de Porto Nacional. Ele estava acompanhado do senador Eduardo Gomes, os deputados Carlos Gaguim e Washongton Coração valente, e de alguns dos principais ministros do Governo Federal.

Foto: SecomResultado de imagem para ponte de porto nacional

Foto: SecomImagem relacionada

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui