Polícia Civil cumpre mandado de prisão temporária contra suspeito de homicídio em Araguaína

0
226

A Polícia Civil do Estado do Tocantins cumpriu, na tarde desta quarta-feira, 7, em Araguaína, um mandado de prisão temporária em desfavor de um indivíduo de iniciais C.V.A.S, de 18 anos de idade. Ele é o principal suspeito do homicídio que vitimou Welton Castro, no início da manhã do último domingo, 4, em um bar, localizado no Setor Entroncamento, na cidade. O cumprimento do mandado foi efetivado por policiais civis da Delegacia de Homicidios e Proteção à Pessoa – DHPP, de Araguaína.

Conforme o delegado Breno Eduardo Campos Alves, o indivíduo e um comparsa foram presos pela Polícia Militar no final da manhã desta quarta-feira, 7, após o roubo e a provocação de incêndio em um automóvel, ainda na madrugada. Em seguida, eles foram apresentados na Central de Atendimento da Polícia Civil, onde o delegado plantonista procedeu a sua autuação em flagrante.

No entanto, após a realização dos procedimentos legais cabíveis, os policiais civis descobriram que havia um mandado de prisão temporária em aberto, em desfavor de C.V.A.S, pelo crime de homicídio. Dessa forma, o indivíduo foi encaminhado até a Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), onde o delegado Guilherme Torres deu cumprimento à ordem judicial.

O crime pelo qual C.V.A.S é suspeito ocorreu na madrugada de domingo, 4, quando o autor e os dois irmãos vitimados estavam em uma festa realizada em um bar de Araguaína. Em determinado momento, o autor visualizou as duas vítimas, sacou um revólver e tentou atingir um dos irmãos com quem havia tido um desentendimento um ano antes, quando ambos cumpriam medida sócio-educativa no centro de internação para menores infratores, em Santa Fé do Araguaia.

No entanto, para proteger o irmão, Welton Castro entrou na frente e foi atingido por pelo menos cinco disparos de revólver e veio a óbito ainda no local. Na mesma ação, o outro irmão também foi atingido, mas foi socorrido e encaminhado até o Hospital Regional de Araguaína, recebendo alta médica.

De acordo com o delegado Guilherme, logo após os fatos, a Polícia Civil deu início às investigações e, já na segunda-feira, foi possível identificar o atirador. “Em menos de 36 horas, conseguimos desvendar o crime, identificar o suposto autor e descobrir a motivação para o homicídio”, disse. Com base nas evidências colhidas, o delegado representou, junto ao Poder Judiciário pela prisão temporária de C.V.A.S, a qual foi deferida e cumprida nesta quarta-feira.

Após os procedimentos legais cabíveis, o indivíduo foi recolhido a Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Secom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui