PF investiga possível crime eleitoral em decorrência de apreensão de mais de 1 milhão de reais em táxi no Tocantins

0
344

A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (22) a Operação Milhão II,
visando aprofundar a investigação iniciada após a apreensão de R$ 1.260.550,00 (um
milhão, duzentos e sessenta mil, quinhentos e cinquenta reais), em espécie, realizada em
02/10/2018, próximo da data das eleições gerais do último pleito.

Aproximadamente 40 Policiais Federais cumprem sete Mandados Judiciais de Busca e
Apreensão, todos expedidos pela 3ª Zona Eleitoral de Porto Nacional, nas cidades de
Silvanópolis/TO, Porto Nacional/TO, Candangolândia/DF e Brasília/DF.

A investigação teve início com a apreensão do dinheiro que estava sendo transportado
em um táxi, abordado na TO-050, sentido Porto Nacional/TO a Palmas/TO. Durante as
diligências, os detentores do dinheiro não comprovaram a origem lícita, o seu destino ou
qualquer justificativa para estarem na posse de vultosa quantia, com indicativos de que
seria destinada a compra de votos. Nesta nova fase, investiga-se incoerência e
inconsistência da versão apresentada por uma pessoa que compareceu a sede da PF em
Palmas alegando ser dono do dinheiro apreendido.

Os investigados devem responder, na medida de suas participações, pelos crimes de
compra de votos e associação criminosa.

O nome da operação faz alusão a considerável quantia em dinheiro apreendida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui