Nióbio do Amazonas: O metal que faz do Brasil um dos países mais cobiçados do mundo

0
877

Da Redação

Nos últimos dias, a amazônia brasileira vem sendo alvo de muitas discussões pelo mundo. Até então, a própria população do País, pelo menos a sua maioria, não tinha conhecimento de que se encontra aqui, na região Norte, uma das maiores reserva de nióbio do planeta, um mineral fincado nas terras indígenas da região que é a grande cobiça dos países ricos.

As críticas internacionais sobre as queimadas na Amazônia cresceram de forma assustadora e muitos países chegaram a reclamar do Brasil. Porém, suas verdadeiras preocupações foram imediatamente reveladas. “O que eles querem é o nióbio, se a preocupação fosse com as árvores eles plantavam em seus países e paravam com a destruição”. Foi aí que todos os brasileiros passaram a conhecer o que, de fato, ocorre na região Norte do Brasil.

Se bem que essa riqueza natural poderia estar sendo comercializada de forma legal e melhorando a vida da população, ao invés de provocar discórdia e ameaças escondidas atrás da fumaça do fogo que, criminosamente, foi ateado na Amazônia. O lado positivo é que, pelo menos, segundo o que o brasileiro esta percebendo, o Governo Federal resolveu reagir e assumir o seu papel que, além de outras coisas, é proteger suas riquezas naturais, ao invés de ratear o que é nossos às escondidas.

Somente agora acordamos e descobrimos que somos todos nortistas, pois, temos uma riqueza que até então era desconhecida.

SAIBA TUDO SOBRE O NIÓBIO DA AMAZÔNIA:

A reserva mineral de nióbio localizada na região denominada Cabeça de Cachorro, no município de São Gabriel da Cachoeira (AM), na fronteira com a Venezuela e a Colômbia, classificada entre as maiores do mundo, apesar da alta viabilidade comercial, não pode ser explorada comercialmente porque está localizada em território indígena e dentro das áreas de proteção ambiental Parque Nacional do Pico da Neblina e da Reserva Biológica Estadual do Morro dos Seis Lagos. O total de minério estimado na reserva é de cerca de 2,9 bilhões de toneladas de nióbio

O nióbio é um raro e estratégico minério utilizado na industrialização de produtos que suportem altas e baixas temperaturas como aviões e foguetes. Indispensável nas indústrias espacial e nuclear, várias ligas de nióbio são desenvolvidas por sua leveza e por sua supercondutividade, muito superior a de outros minerais. Seus principais derivados entram na composição de aços diversos, como nos aços de alta resistência, usados na fabricação de tubulações para transmissão de gás sob alta pressão, petróleo e água, por ser um poderoso agente anticorrosivo, resistente aos ácidos mais agressivos.
O secretário da SEMGRH (Secretaria Estadual de Mineração, Geodiversidade e Recursos Hídricos), Daniel Nava, afirma que na década de 70 o CPRM (Serviço Geológico do Brasil) realizou levantamentos que definiram as localizações das reservas de nióbio em Seis Lagos. Ele destaca a alta capacidade de mineração da área e explica que a produção e comercialização da reserva esbarra em questões legais que passam pela aprovação se encontram nos Estados de Minas Gerais (75% do total), Amazonas (21%) e em Goiás (3%).

Áreas indígenas

Mas mesmo dentro de uma possibilidade do governo estadual encampar a ideia de exploração do nióbio de Seis Lagos, a empreitada esbarraria na legislação federal, haja vista que a reserva está também dentro de territórios indígenas.

Uso do nióbio

Várias ligas de nióbio são desenvolvidas por sua leveza e por sua supercondutividade, muito superior à de outros minerais. Seus principais derivados entram na composição de aços diversos, como nos aços de alta resistência usados na fabricação de tubulações para transmissão de gás sob alta pressão, petróleo e água, por ser um poderoso agente anticorrosivo, resistente aos ácidos mais agressivos.

 Fonte: Portal da Amazônia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui