Servidores da Assistência Social aderem a paralisação que aconteceu nos 139 municípios

0
409

 

Os servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação de Paraíso do Tocantins aderiram nesta terça-feira, dia 24, a paralisação e ao manifesto que cobra a regularização, junto ao Governo Federal, dos repasses do cofinanciamento aos municípios.

A paralisação tem o apoio e participação da Comissão Intergestores Bipartite; colegiado do COEGEMAS; dos conselhos municipais de assistência social; beneficiários e familiares e foi aderida pelos 139 municípios do Estado do Tocantins. Em Paraíso, teve início às 7h30 da manhã, na Praça Cabo Luzimar, se estendeu por todo o dia e terminou às 17 horas na Praça do Estudante, no Setor Pouso Alegre.

De acordo com Edilene Alves, secretária interina de Assistência Social e Habitação, há alguns meses os repasses estão bloqueados. “Os recursos que tínhamos em conta já estão praticamente zerados e, alguns municípios tocantinenses estão fechando os programas e serviços por não terem condições de dar continuidade”.

Ainda segundo Edilene Alves o prefeito de Paraíso do Tocantins, Moisés Avelino, tem um olhar diferenciado para a Assistência Social e Habitação e “essa atenção do gestor tem nos possibilitado dar continuidade aos serviços, porém a qualidade dos mesmos pode ser afetada caso os recursos federais não sejam pagos”, afirmou a secretária em exercício.

A falta de recursos afeta diretamente os projetos, programas e serviços básicos, tais como: CRAS; CREAS; SCFV; Bolsa Família e cadastro Único. “Já há algum tempo repasses estavam sendo pagos atrasados. Para se ter uma ideia o último pagamento feito pelo Governo Federal é referente a março de 2017”, explicou Edilene. “Então nosso apelo é: Governo, regularize os repasses do cofinanciamento federal dos municípios, permita que cuidemos do povo que necessita da Política de Assistência Social”, concluiu Edilene Alves.

ASCOM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui