Com saldo de 40 policiais motivados, termina em Porto Nacional a 7ª edição da Academia Itinerante da SSP

0
62

Rogério de Oliveira

Com foco na capacitação e no aprimoramento do efetivo, foi concluída, na tarde desta sexta-feira, 8, no plenário de audiências do Fórum da Comarca de Porto Nacional, a 7ª edição do projeto Academia Itinerante da Escola Superior de Polícia (Espol) da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Prestigiaram a solenidade de conclusão do curso o secretário da Segurança Pública, Cristiano Barbosa Sampaio, a delegada-geral da Polícia Civil, Raimunda Bezerra de Sousa, o Diretor da Espol, delegado Ronie Augusto Esteves, e o delegado regional de Polícia Civil de Porto Nacional Diogo Fonseca, entre outros representantes do staff da SSP.

Ao longo da semana, aulas teóricas e práticas movimentaram o efetivo da 6ª Delegacia Regional de Polícia Civil. Em período integral, os mais de 40 alunos, entre delegados, agentes e escrivães tiveram acesso a conteúdos como: Normas aplicadas à Polícia Civil, Interceptação Telefônica e Lavagem de Dinheiro, Uso de Novas Tecnologias no Trabalho Policial, Homicídio e locais de crimes diversos e morte violenta, Crimes Cibernéticos, Noções de Operações Aéreas, Palestra sobre o novo estatuto da Polícia Civil e Identificação Veicular, Na parte prática, foi ministrada pelo Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), Unidade de Elite da Polícia Civil do Tocantins, capacitação em tiro, e aulas com conteúdos específicos da Polícia Científica.

Encerramento

Durante a solenidade de encerramento do curso, o secretário da Segurança Pública, Cristiano Sampaio, em seu discurso, enalteceu e parabenizou todos os policiais civis, que participaram  da 7ª edição do projeto Academia Itinerante. Ele ressaltou que a importância do evento, assinalando que o objetivo é proporcionar à sociedader uma Polícia Civil mais preparada, capacitada e ainda mais atuante no combate e prevenção à criminalidade. O Secretário apresentou um breve balanço das ações já realizadas pela Pasta, destacando pontos como a reestruturação da Polícia Civil, a construção do Novo Manual de Conduta da Instituição, a redução dos índices de criminalidade em várias regiões do Estado, a valorização dos policiais civis e demais servidores com cursos e capacitação constantes, além de ressaltar a implantação do Plano Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (PESSE).  “A academia Itinerante é uma oportunidade ímpar para que os policiais civis possam se atualizar, trazendo novas formações, capacitações e técnicas”, frisou Cristiano Sampaio.

A delegada-geral da Polícia Civil, Raimunda Bezerra, enfatizou o aspecto de valorização dos policiais civis por ocasião da realização do projeto Academia Itinerante, destacando que o investimento na capacitação do policial civil se traduz em benefícios para todos os cidadãos. “O projeto Academia Itinerante vem trazer não só mais capacitação, mas também, tem o objetivo de valorizar a todos os policiais civis do interior do Estado. Além disso, é uma forma de integralização dos policiais civis das diferentes cidades, o que resultará na redução dos índices de criminalidade, trazendo maior interação com a sociedade e mais sensação de segurança a todos os cidadãos”, declarou.

Para o diretor da Espol, delegado Ronie Augusto Esteves, a realização do projeto Academia Itinerante é muito gratificante, pois se converge em uma oportunidade única para a troca de experiências, conhecimentos, além proporcionar aos policiais civis acesso à novas técnicas de investigações e novas tecnologias que visam melhorar a atuação policial. “Como os policiais civis do interior estão mais afastados da Capital, o projeto acaba por proporcionar capacitação, integração, harmonia, possibilitando também o acesso a novas ferramentas de investigações, sobretudo, em crimes cibernéticos, prática que hoje representa expressiva parcela de ilícitos praticados no País”, aponta o diretor.

Entusiasmo

Em sua avaliação da Academia Itinerante, o delegado regional de Porto Nacional, Diogo Fonseca, afirmou que o projeto trouxe resultados muito positivos e que isso é constatado pelo entusiasmo e o empenho com que os policiais civis da 6ª DRPC participaram das aulas práticas e teóricas. “Esse momento de congregação e capacitação é muito importante para todos os policiais civis, pois assim, temos uma Polícia Civil mais forte e cidadão, e totalmente alinhada e em sintonia com as modernas práticas investigativas adotadas pelas melhores polícias do mundo”, ressaltou o delegado.

Para o agente de polícia, Juraci Nunes Carvalho, a semana foi proveitosa em todos os aspectos, pois as aulas teóricas e práticas serviram de motivação, tanto para a melhora das atividades desempenhadas cotidianamente nas Unidades policiais, como para elevar a autoestima. A escrivã de polícia, Marcivânia Ferreira de Souza, por sua vez, classificou o projeto como uma ótima oportunidade de aprimorar as técnicas policiais e adicionar novos conhecimentos que serão muito úteis no desempenho das funções cotidianas. “Estávamos muito ansiosos para o início dos cursos e palestras, uma vez que como policiais civis e seres humanos devemos estar em constante evolução e posso afirmar com certeza que, os conhecimentos e novas técnicas adquiridas e aprimoradas ao longo desta semana em muito nos ajudarão a atender melhor a população e sermos policiais civis ainda mais eficientes e prestativos”, disse.

O projeto

O Projeto Academia Itinerante integra o plano de fortalecimento e reestruturação da Polícia Civil, da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP – TO) e congrega a Política de Gestão de Pessoas prevista no Eixo Desenvolvimento Humano e Organizacional do Plano Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (PESSE).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui