Paraíso terá escola Cívico Militar na região norte. Unidade escolhida foi a Escola São José Operário

0
1912

A Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes, por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Educação Básica, realizou, na tarde desta segunda-feira, 25, em Paraíso, uma consulta pública à comunidade escolar e local de Paraíso para adesão ao Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (PCIM). Trata-se da Escola Estadual São José Operário, localizada no município de Paraíso, na região norte da cidade.

Resultado de imagem para escola estadual são josé operário

Participaram do evento servidores da unidade escolar, pais de alunos e comunidade local, para, de forma democrática, tomarem a decisão sobre a implantação ou não da Escola Cívico-Militar.

Kelma Tavares Barbosa, responsável Técnica pela Unidade Técnica Executiva (UTE) de Modalidades e Ofertas Especiais, explanou sobre as principais diretrizes operacionais inerentes à implantação dos modelos cívico-militares. A técnica deixou claro que a escolha é da comunidade. “A consulta à comunidade é para acatar as sugestões e opiniões dos que trabalham na unidade escolar. Tanto pais, estudantes e comunidade são quem decidem sobre as escolha do que for melhor para todos”, destacou.

Em Paraíso já existe um Colégio Cívico-Militar, Unidade V, na região sul da cidade. Na reunião, o major Rafael Silva Crespo diretor do CCM Unidade II, de Palmas, explicou sobre o funcionamento das escolas cívico-militares existentes no Estado. Dúvidas foram esclarecidas aos servidores e à comunidade. “O êxito obtido nesse modelo de ensino é excelente, tanto nas escolas do Tocantins quanto nas de outros estados da federação”, enfatizou.

Para Oto Sabino da Silva neto, professor de biologia, a implantação do Colégio Cívico-Militar agrega valor à escola e à região. “Com a disciplina no sistema militar e a orientação e suporte militar, os estudantes conseguem construir os sonhos de forma mais ampla e melhor qualidade na educação, além de valores morais e éticos que serão ponto forte no ensino”, destacou.

Segundo Elivanda Souza da Silva, mãe da Yasmim Silva da Costa, estudante do 7º ano, a mudança da forma de ensino é um sonho. “Esse projeto é importante para a nossa comunidade, é um anseio antigo do povo dessa região. Já lutávamos por vaga no ensino militar e não havia. Estamos ansiosos pela implantação”, comentou.

O PCIM por Estado

Na fase piloto, o Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (PCIM) contemplou duas unidades de ensino por estado da federação. Porém, o Tocantins foi contemplado com mais uma unidade. Após a seleção das unidades de ensino, o Ministério da Educação (MEC) implementará todas as diretrizes do programa, que tem previsão de início das atividades o ano letivo de 2020. Além disso, o programa conta com aporte financeiro do Governo Federal para investimento nas unidades selecionadas.

Na quinta-feira, 30, de outubro, ocorreu a consulta na comunidade da Escola Estadual Hercília Carvalho da Silva, em Gurupi, para adesão PCIM; Na sexta-feira, 31, ocorreu a consulta à comunidade escolar da Escola Estadual Maria dos Reis Alves Barros, localizada no setor Taquari, em Palmas, para adesão ao Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (PCIM). Portanto, as três escolas que pertencem ao Programa são: Escola Estadual Maria dos Reis Alves Barros, de Palmas; Escola Estadual Hercília Carvalho da Silva, de Gurupi, e, por último, a Escola Estadual São José Operário, de Paraíso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui