Paraíso Eleições 2020: Pré-candidato Paulo Armando deixa PSL e fala em união da oposição e “gestão que município nunca teve”

0
844
PAULO ARMANDO É PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO DE PARAÍSO NAS ELEIÇÕES 2020

Exclusivo Portal Benício

 

 “Temos que parar com essa questão de grupinhos políticos de A, B ou C, e temos que fazer uma gestão onde tudo precisa ser bem feito porque quem ganha com isso é Paraíso… não podemos nos acovardar… Não estamos pensando em projetos pessoais e podem ter certeza que vocês vão ter uma gestão que Paraíso nunca teve.” Paulo Armando.

 

RECADO DIRETO AOS PARAISENSES:

Em entrevista exclusiva ao Portal Benício/Correio do Povo, nesta segunda-feira, 06 de abril de 2020, o pré-candidato a prefeito de Paraíso do Tocantins, nas eleições de 2020, Paulo Armando Maciel Milhomem, esclareceu os motivos que o fizerem deixar o PSL, antigo partido do presidente Jair Bolsonaro, e sua escolha pelo PSDB, sigla que ele pretende disputar a prefeitura da cidade, caso seja o nome escolhido pelo grupo de oposição, que desde o ano passado articula para definir seu candidato.

Aos 48 anos, Paulo Armando, que é pecuarista e filho da cidade, já foi presidente do Sindicato Rural de Paraíso por 3 mandatos, e diretor de uma extinta Cooperativa de Produtores da cidade. Ele é casado com Laísa Lopes Milhomem e tem 2 filhos. O pré-candidato respondeu a vários questionamentos da Redação sobre assuntos de interesses dos cidadãos paraisenses. Segue a Entrevista:

Portal Benício (PB) – Recentemente, dentro da janela permitida pela Justiça Eleitoral, você deixou o PSL e se filiou ao PSDB. Qual o Motivo?

Paulo Armando – É um prazer conceder essa entrevista ao Portal Benício, para colocar a população de Paraíso a par do que aconteceu nas últimas semanas. Como todos sabem eu estava no PSL e nosso grupo vem acompanhando o presidente Jair Bolsonaro, a quem acreditamos que vai transforma nosso País para melhor. Como todos sabem não sou político, más em prol de Paraíso a gente tem que se posicionar para conseguirmos ter um município melhor quando se fala no coletivo. Ou seja, benefícios para toda população de uma forma em geral. Colocamos nosso nome como pré-candidato em Paraíso, juntamente com um grupo que acredita que as coisas possam mudar, mas infelizmente o nosso Presidente deixou o PSL e esse partido passou a ser oposição. Também ocorreram mudanças na presidência do Partido no Estado e o nosso grupo não concordou com esse posicionamento. Com toda essa situação achamos melhor deixar o PSL e ir para o PSDB, que acredito ser um grande suporte. Alguns colegas foram para outros Partidos, mas o grupo continua unido e com um só objetivo em relação á Paraíso e a Presidência da República.

PB – Como estão as conversações dentro do grupo de oposição para escolher seu candidato em Paraíso?

Paulo Armando – As conversações vão muito bem, o grupo está se alinhando e observando o que a população quer de melhor para Paraíso. Quando se fala em mudanças, às vezes se pensa em algo radical, mas o nosso grupo está sempre decidindo pela maioria. Antes éramos 13 candidatos e hoje estamos afunilando com quatro ou cinco até que se decidam os nomes que vão encabeçar a chapa, sempre na hora certa e pensando na nossa cidade e respeitando o coletivo. Temos conversado muito com nosso deputado federal Osires Damaso e ele está ciente de que precisamos ter um consenso, e como empresário e político experiente ele reconhece que temos que decidir em grupo. Não tenho dúvidas em relação ao nosso grupo, que está centrado em lutar para resolver os problemas da nossa cidade.

PB – Como está o seu relacionamento pessoal com o deputado Osires Damaso?

Paulo Armando – O meu relacionamento com o deputado Osires Damaso é muito bom. Ele sempre me acompanhou nas eleições do Sindicato Rural e eu sempre o apoiei nas eleições que ele disputou até agora. Fora isso, somos muito amigos e temos uma consideração muito grande um pelo outro. Tenho certeza que, tanto eu, quanto Osires Damaso, queremos o melhor para nossa cidade.

PB Como você acha que deve ser escolhido o candidato de oposição em Paraíso?

Paulo Armando – Eu defendo que o candidato do nosso grupo deva ser o que o povo quer, e sem imposição. Isso também é consenso dentro do grupo que dará toda estrutura ao nome que for escolhido.

PB – Como você planeja fazer uma gestão sua em Paraíso caso seja eleito prefeito?

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e chapéu

Paulo Armando – Toda mudança tende a ser radical para realmente ela acontecer. Não quero falar mal de ninguém aqui, mas estamos perdendo indústrias e outras empresas há anos, e nós queremos pensar mais em Paraíso dando suporte para as empresas que querem vir para cá gerar empregos e também pensamos em uma prefeitura dando suporte para as empresas que já estão instaladas aqui. Temos que manter uma boa aparência do nosso Parque Industrial, para chamar a atenção dos investidores com uma imagem positiva e também criar um segundo Parque Industrial em cima da Serra, sentido a Palmas, onde algumas empresas já estão sendo instaladas. Nós estamos perto da Ferrovia Norte Sul, ao lado da BR-153 e próximo da Capital. Daí pergunto: porque não podemos ter dois Parques industriais? Devemos sim criar um segundo parque industrial e manter o já existente limpo e estruturado para receber novas empresas. Com essa estrutura o empresário vai olhar para Paraíso com bons olhos porque investir aqui será bem mais barato que investir em Palmas onde tudo é mais caro, e os empregos serão gerados aqui em Paraíso. Queremos montar uma equipe com profissionais capacitados em cada setor da gestão, para que ela tenha conhecimento do que faz e do que fala. Tenho certeza de que seguindo essa linha que hoje vem sendo feita pelo nosso presidente Jair Bolsonaro, Paraíso estará gerando mais empregos e toda comunidade é quem vai sair ganhando.

PB – Você pertence à classe agropecuarista, e a economia de Paraíso é baseada na agricultura pecuária e comércio. Como essas classes podem contribuir para o desenvolvimento do município?

Paulo Armando – Nosso município está no coração do País e no centro do Tocantins. Temos uma ligação muito forte com o sul do Estado do Pará e nosso movimento agropecuário é muito forte, como exemplo temos nossos leilões com até 8 mil cabeças de gado a cada semana. O Produtor Rural, ele produz sem exigir muita coisa. O que ele pede são boas estradas e pontes para que tenha condições de trafegar e escoar sua produção. O município de Paraíso é pequeno e não vejo nenhuma dificuldade da prefeitura manter essas estradas sempre em bom estado de conservação. Também temos que pensar em relação à nossa feira coberta, aonde o espaço já é insuficiente para abrigar o pequeno produtor, e precisamos ver a questão do estacionamento para os clientes, além de atender mais produtores que querem comercializar seus produtos, tanto aqui como em Palmas. Quanto ao comércio precisamos encontrar saídas para atrair mais consumidores. O empresário só precisa se sentir fortalecido e valorizado para que ele possa gerar mais empregos. Tudo isso interferirá diretamente no crescimento da nossa economia.

PB – Se houve falar que Paraíso precisa aprender a valorizar o político prata da casa. Hoje a cidade tem apenas um deputado federal e não elegeu nenhum deputado estadual. Como você vê essa questão?

Paulo Armando – Falta de união.  Há alguns anos fui um dos idealizadores que criaram e distribuíram adesivos que diziam “Ame Paraíso. Vote Aqui”. Nosso objetivo era fazer com que o eleitor paraisense elegesse os deputados locais para que pudéssemos conseguir mais benefícios para a nossa cidade, independente de quem fosse o candidato. Infelizmente em tempos de eleição muita gente tira votos em Paraíso e desaparece. Só retornam na outra eleição. Vamos ser bairristas, vamos eleger nossos candidatos. Nós temos condições de eleger vários deputados como fazem outros municípios. Temos que pensar em nossa cidade, em nossa gente. Se você não quer votar em um candidato, vote no outro, mas precisamos ser bairristas.

PB – Para você o que é sérum bom Gestor?

Paulo Armando – Existem duas formas de ser gestor; o que pensa na gestão e outro que pensa na cidade. A diferença é que, o prefeito que só pensa na gestão ele só pensa no imediato. Ou seja, quando chega um empresário que quer investir ele só pensa na arrecadação. Já o prefeito que pensa na cidade, ele dá incentivos e garante a geração de empregos para ajudar a população. Além disso, cinco anos depois além de estarem gerando empregos essas empresas que receberam incentivos também estarão pagando seus impostos normalmente e gerando renda. Essa é a diferença. Precisamos de gestores que pensam na cidade e não apenas na sua gestão.

PB – O mundo, o Brasil, o Estado do Tocantins e Paraíso estão vivendo esse momento crítico da pandemia do coronavírus. Como você avalia essa situação em relação à economia e a saúde da população?

Paulo Armando – É um momento muito delicado, como nosso presidente Jair Bolsonaro já colocou. Não podemos deixar de trabalhar porque temos que pensar nas pessoas que ganham seu pão no dia-a-dia. Como ficam as pessoas que não podem sair para trabalhar se todos os dias precisam ganhar o pão para sua família? Isso é muito delicado. Ou você trabalha ou fica dentro de casa e vê sua família passar fome. Temos que ter preocupação com os mais idosos e pessoas com saúde debilitada. Cito o meu exemplo: fiquei 14 dias sem ver meu pai. Chegava lá entregava as coisas na porta e tinha que sair. No entanto, eu estava trabalhando e ao mesmo tempo protegendo ele, que ficava em casa com as pessoas que convive no dia-a-dia. É preciso proteger os idosos, pessoas com problemas de saúde e também as crianças, mas o Brasil não pode parar. O que o presidente Bolsonaro fala é uma realidade. Se o caminhoneiro parar como vai ficar os supermercados? Tem segmentos que não podem parar, mas é lógico que precisamos ter cautela e seguir as orientações das autoridades de saúde, principalmente evitar aglomerações de pessoas, esse é o mecanismo, trabalhar e tendo muita cautela. Com isso o Brasil está andando.

PB – Como é o seu relacionamento com o prefeito Moisés Avelino?

Paulo Armando – Temos um bom relacionamento. Existem algumas indiferenças em relação à gestão, mas é uma pessoa que respeito muito, porque fui criado vendo uma boa amizade entre meus pais e Dr. Moisés, que foi meu parceiro no Sindicato Rural, como agropecuarista e como gestor, assim como todos os outros prefeitos, até porque fizemos um trabalho pensando em Paraíso.

PB – O que você diria hoje para a população de Paraíso sobre seus sonhos e objetivos com essa sua pretensão de disputar a prefeitura municipal?   

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e chapéu

Paulo Armando – Como filho de Paraíso tive à frente do Sindicato Rural por três mandatos, tive a oportunidade de ser candidato há anos atrás, mas falei que não acreditava na política. Foi o nosso presidente Jair Bolsonaro que me fez acreditar, pela maneira dele falar, de pensar, e de acreditar que as coisas podem mudar e que cada um tem que fazer a sua parte pelo próximo. Nasci aqui e quero dizer aos paraisenses que a gente tem que pensar no coletivo, pensar que a cidade crescendo, se desenvolvendo e chegando novas empresas todos os paraisenses é quem vai ganhar com isso. Temos que parar com essa questão de grupinhos de A, B ou C, e temos que fazer uma gestão onde tudo tem que ser bem feito porque quem ganha com isso é Paraíso. Temos que administrar nossa cidade com amor e com carinho. É isso que quero passar para vocês paraisenses. Amo essa cidade. Talvez continuar minha vida comum seria mais cômodo, mas não podemos nos acovardar e tenho certeza que junto com nossa equipe podemos contribuir muito pelo desenvolvimento de Paraíso. Penso numa gestão coletiva onde só Paraíso vai ganhar e a gente tem que lembrar que estamos próximos da capital e que temos que saber usufruir dessa proximidade. Para isso teremos uma equipe competente. Não sou de prometer porque é melhor você atender uma pessoa que não esperava um benefício do que prometer e não poder cumprir. Não tenho esse perfil. Podem acreditar no nosso grupo que está pensando na cidade. Não estamos pensando em projetos pessoais e podem ter certeza que vocês vão ter uma gestão que Paraíso nunca teve.

*A entrevista com o pré-candidato também será publicada no Jornal Correio do Povo, empresa gestora do Portal Benício.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui