Fazenda modelo em confinamento é exemplo de alta genética produtiva em bovinos

0
178

Uma comitiva da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Aquicultura do Estado (Seagro), liderados pelo Secretário da pasta, César Halum e o subsecretário Adenieux Santana  visitaram nesta terça-feira, 16, a Fazenda São Geraldo, da Agrojem, localizada a cerca de 120 Km da capital Palmas, no Município de Mariánopolis, região oeste do Estado.

A fazenda é um modelo em pecuária moderna e tem atingido o objetivo de produzir genética altamente produtiva no cerrado do Tocantins. “Somos uma verdadeira empresa rural. Tudo é pensado e construído para otimizar a terra e o trabalho com sustentabilidade produtiva”, afirmou o proprietário, José Eduardo Motta ao apresentar o que tem sido realizado na propriedade.

Ele disse ainda que seu maior desejo ao escolher o Tocantins para montar essa empresa pecuarista é a de colaborar com esse novo estado. “Quero vê-lo crescer, produzir, prosperar. Isso vai além de ganhar dinheiro, e claro,  reconheço que a infraestrutura do Estado colaborou para a implantação da Fazenda”, reforçou.

Diante da declaração de José Eduardo Motta, o secretário César Halum considerou a importância de empresários que reconhecem o Tocantins como um celeiro de novas oportunidades; “O Governo do Tocantins está preparado em infraestrutura, incentivos fiscais para receber investidores, não só apenas do Brasil, como de todo o mundo. As potencialidades, as áreas acessíveis fizeram com que em 10 anos, passássemos de nove para 700 plantas de confinamento,” lembrou e concluindo, “queremos uma agricultura e pecuária forte, que aumente a produtividade, mas com sustentabilidade, reduzindo desmatamento e mesmo assim tendo um grande volume de produção”, destacou.

O confinamento realizado na Fazenda tem encurtado a cadeia do ciclo de investimento, deixando o gado no ponto de abate com regularidade e padronização o ano todo. Segundo o gerente de operações, Danilo Figueiredo, além de toda a tecnologia investida, os fatores climáticos do estado, também contribui.  “O boi não gosta de frio, e no Tocantins praticamente não temos incidências de doenças respiratórias no gado, comum em locais onde o clima cai. O mercado quer padrão e regularidade, o confinamento encurta o ciclo de produção e aumenta a lucratividade dos pecuaristas”, explicou.

A infraestrutura chamou a atenção da comitiva. Para o subsecretário Adenieux Santana,  a visão que integra lavoura à pecuária é de altíssima qualidade e precisão. “Eu vejo nessa visita a prosperidade que é a integração lavoura e pecuária, o melhoramento do gado, o adubo de produtos orgânicos que vem do confinamento, os projetos em andamento, as experiências assertivas que se tornam exemplos e lições que podem ser levados para outros produtores”, observou.

Fez parte da comitiva, o secretário César Halum, o subsecretário Adenieux Santana, o Diretor de Agricultura e Pecuária, Zé Américo, o diretor de Biotecnologia Romão Vidal e o diretor de crédito fundiário, Geilson Barbosa, diretor de Desenvolvimento Agrário e Crédito Fundiário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui