Governo do Tocantins discute políticas e processos que impactam a aprendizagem durante a pandemia da Covid-19

0
86

O seminário Das políticas públicas à sala de aula: currículo e avaliação no contexto da pandemia foi aberto nesta quarta-feira, 26, pela titular da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), Adriana Aguiar, que, na ocasião, defendeu o trabalho colaborativo entre os entes federativos. O seminário, com mais de dez mil inscritos, prossegue até esta quinta-feira, 27, em uma realização do Governo do Tocantins, por meio da Seduc.

“Esse é um momento bastante rico para todos nós que somos profissionais da educação. Esse seminário contribuirá com a volta às aulas e, a partir dos temas que serão debatidos, conseguiremos perceber o contexto em que estamos inseridos. Estamos trabalhando em parceria com a UFT [Universidade Federal do Tocantins] e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação”, destacou Adriana Aguiar.

Durante a abertura do seminário, foi lançada a versão preliminar do Documento Curricular do Tocantins (DCT) do Ensino Médio, que entra em fase de consulta pública da Formação Geral Básica. “Quando falamos do fortalecimento do regime de colaboração, isso reflete na consulta pública que estamos fazendo, que está aberta a pesquisadores, professores, profissionais da educação de todas as redes”, explicou a gestora da Seduc.

Os principais temas a serem discutidos, ao longo dos dois dias de seminário, são: a avaliação da aprendizagem como indutora de políticas públicas nos sistemas de ensino e avaliação de larga escala (Enem e Saeb), as perspectivas e os desafios durante e após a pandemia; os indicadores educacionais como instrumento de avaliação e adequação do planejamento escolar; e o desenvolvimento de habilidades socioemocionais no retorno às aulas.

Palestras

Abrindo o ciclo de palestras, o doutorando em Educação na Amazônia pela UFPA/UFT e professor da Educação Básica da Seduc, Marcos Irondes, abordou a relação entre currículo e avaliação da aprendizagem. “O que está sinalizado pela BNCC [Base Nacional Comum Curricular] é que tenhamos um processo de avaliação que seja contínuo e formativo, de modo que os professores adaptem suas práticas e seus conteúdos às necessidades de aprendizagem”, ressaltou o palestrante.

Marcos Irondes considerou que, no período de pandemia e pós-pandemia, os professores, tendo como base o Documento Curricular do Estado do Tocantins que estará alinhado à BNCC, irão adaptar os modelos de avaliação e ensino à nova realidade. “Os professores, intuitivamente captam os processos, as dificuldades e os bloqueios de seus alunos e modificam sua maneira de intervir. Então, a avaliação formativa já é uma prática da maioria dos nossos professores”, destacou. A palestra foi mediada pela diretora de Desenvolvimento da Educação, da Seduc, Larissa Ribeiro.

Programação

14 horas – Avaliação de larga escala (Enem e Saeb): perspectivas e desafios durante e após pandemia – Maria Inês Fini (ex-presidente do Inep). Mediador: Robson Vila Nova (secretário Executivo da Seduc).

Dia 27 de agosto

10 horas – A avaliação da aprendizagem como indutora de políticas públicas nos sistemas de ensino – Malvina Tuttman (ex-presidente do Inep). Mediadora: Amanda Pereira (superintendente de Educação Básica, da Seduc).

14 horas – Indicadores educacionais como instrumento de avaliação e adequação do planejamento escolar – José Francisco Soares (ex-presidente do Inep). Mediador: Jhonata Moreira (gerente de Currículo e Avaliação e Aprendizagem, da Seduc.

15h30 – Habilidades socioemocionais e o retorno às aulas – Marialba Carneiro (especialista em Gestão Educacional) e Ladislau Ribeiro (prof. Dr. da UFT). Mediadora: Judite Elizabeth (Undime/TO).

O evento está sendo transmitido via TV Seduc Tocantins – página oficial da Seduc no YouTube.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui