Nadar nadar e morrer na praia: As oposições nas eleições municipais 2020

0
214

Da Redação

Nunca na história política de vários municípios tocantinenses foi possível registrar a presença de tantos candidatos de oposição em busca de ‘comandar’ as prefeituras de suas cidades. Sem acordo entre si, os chamados pré-candidatos até o dia 16 de setembro, último prazo para realizar convenções, decidiram manter suas posturas e tocar o barco pra frente.

Ocorre que, internamente, todos eles sabem que estão facilitando a vida dos candidatos de situação. Ou seja, quem está no comando da prefeitura acaba vendo essa disputa de secundários como favorável e torce para que ela continue.

Diante da petulância e discórdias por objetivo pessoais, os opositores divididos vão “nadar nadar e morrer na praia” na grande maioria das cidades onde a desunião prevaleceu. A situação será a mesma. O próprio eleitor não entende os motivos que levam os candidatos de oposição a tentarem dividir o “bolo” em muitos pedaços.

Também existem aqueles que são bancados pela situação para atrapalhar o progresso da oposição. Disfarçadamente eles até insinuam algumas críticas ao executivo para vender a imagem de verdadeiros combatentes. Os sonhos reais não têm nada a ver com a verdadeira ação que trapaceia os seus eleitores. Muitos recebem por fora para que a fatia permaneça dividida.

Além disso, existe a esperança que o tão falado Fundo Partidário irá resolver a vida política e pessoal de quem se arrisca a disputar a eleição de forma solitária e sem unidade com os que correm lado a lado. Um sonho que não se realizará. É Utopia. No máximo os diretórios estaduais desses partidos irão distribuir santinhos. Como sempre fizeram.

Ou foi o Fundo que provocou tanta discórdia?

Ainda existem aqueles que vão gastar rios de dinheiro do próprio bolso para tentar chegar em segundo lugar e sobrepor o terceiro. O objetivo é satisfazer seu próprio ego e o ego de alguns aliados.

“Nadar nadar e morrer na praia” é, segundo os especialistas, quando uma pessoa credita sempre que vai dar certo, não faz nada para que isso aconteça, e quando abre os olhos para a realidade já é tarde.

No entanto, vale a pena lembrar que: “Morrer na praia é risco de quem nada”.

Eleições 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui