Nesta terça-feira, 1º de dezembro, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Aids e, no Tocantins, a data é lembrada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), a qual alerta à população para a necessidade do uso do preservativo e a realização de exames preventivos, como forma de evitar e combater a epidemia. O trabalho articulado entre a SES e as secretarias municipais de saúde garante tratamento e conscientização da comunidade. “Promovemos o aumento da capilaridade distribuindo por meio do Estado, os testes rápidos em HIV, Sífilis e Hepatite B e C para que as Unidades de Atenção Primária possam fazer o diagnóstico precoce e tratar e salvar muitas vidas. Além disso, temos os insumos de prevenção [camisinha masculina e feminina e gel] que distribuímos para os 139 municípios”, informa a assessora da área técnica de Doenças Transmissíveis da SES, Sâmia Chabo. A técnica destaca a importância do diagnóstico precoce. “Hoje, as pessoas têm uma boa sobrevida e com qualidade. A Aids, hoje, para quem trata tornou-se uma doença crônica. O diagnóstico e o tratamento precoce garantem uma qualidade de vida melhor ao paciente vivendo com HIV e Aids”, pontua. Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) mostram que, de janeiro a novembro de 2020, o Tocantins registrou 172 pessoas diagnosticadas com HIV e 52 com Aids. Destas, 67 estão na faixa etária de 15 a 24 anos. O Estado conta atualmente com cinco serviços de assistência especializada em tratamento de HIV/AIDS, localizados em Palmas, Araguaína, Gurupi, Paraíso do Tocantins e Porto Nacional. Nestes locais, estão cadastrados um total de 3.423 pacientes em terapia.

0
61

Nesta terça-feira, 1º de dezembro, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Aids e, no Tocantins, a data é lembrada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), a qual alerta à população para a necessidade do uso do preservativo e a realização de exames preventivos, como forma de evitar e combater a epidemia.

O trabalho articulado entre a SES e as secretarias municipais de saúde garante tratamento e conscientização da comunidade. “Promovemos o aumento da capilaridade distribuindo por meio do Estado, os testes rápidos em HIV, Sífilis e Hepatite B e C para que as Unidades de Atenção Primária possam fazer o diagnóstico precoce e tratar e salvar muitas vidas. Além disso, temos os insumos de prevenção [camisinha masculina e feminina e gel] que distribuímos para os 139 municípios”, informa a assessora da área técnica de Doenças Transmissíveis da SES, Sâmia Chabo.

A técnica destaca a importância do diagnóstico precoce. “Hoje, as pessoas têm uma boa sobrevida e com qualidade. A Aids, hoje, para quem trata tornou-se uma doença crônica. O diagnóstico e o tratamento precoce garantem uma qualidade de vida melhor ao paciente vivendo com HIV e Aids”, pontua.

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) mostram que, de janeiro a novembro de 2020, o Tocantins registrou 172 pessoas diagnosticadas com HIV e 52 com Aids. Destas, 67 estão na faixa etária de 15 a 24 anos.

O Estado conta atualmente com cinco serviços de assistência especializada em tratamento de HIV/AIDS, localizados em Palmas, Araguaína, Gurupi, Paraíso do Tocantins e Porto Nacional. Nestes locais, estão cadastrados um total de 3.423 pacientes em terapia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui