Ambulâncias fazem fila para entregar pacientes de covid em Paraíso e Hospital Regional registra mais um óbito

1
472
TRÊS AMBULÂNCIAS AGUARDANDO PROTOCOLO PARA DESEMBARQUE DE PACIENTES COM COVID NO HOSPITAL DE PARAÍSO DO TOCANTINS

Da Redação

A cada dia o número as internações de pacientes diagnosticados com a covid-19 aumenta no Hospital Regional de Paraíso. Além do Município, eles chegam de várias localidades da região.

A noite deste sábado, 06, não foi diferente. Pelo menos três ambulâncias de diferentes cidades chegaram ao mesmo tempo para desembarcar vítimas da covid e fizeram fila na porta do Hospital Regional, devido ao protocolo de atendimento.

As imagens demonstram a seriedade da situação. O Hospital teve que promover mudanças internas para atender a demanda, más, de acordo com as informações, mesmo ampliando a ala de atendimento a pacientes com a doença chinesa, a Unidade permanece lotada.

Profissionais da saúde local, que pediram para não ser identificados, disseram que não há outra saída a não ser a colaboração da população. “Se não houver a conscientização das pessoas, em breve todos estarão se lamentando, aí, será tarde” disse um profissional da linha de frente de combate ao novo coronavírus, em Paraíso.

Ainda segundo as informações, as ambulâncias registradas na noite deste sábado, pertenciam aos municípios de Marianópolis, Divinópolis e Pugmil. Durante o dia várias outras também chegaram ao HRP.

No caso de Paraíso do Tocantins, a quantidade de pessoas que todos os dias comparecem à Unidade Sentinela, no Setor Oeste, e destinada apenas à pacientes com suspeita da doença, assusta.

MAIS UM ÓBITO

Pode ser uma imagem de árvore, estrada, nuvem e crepúsculo

Na manhã deste domingo, 7, um paciente de covid-19 deu entrada no Hospital e morreu em seguida. A vítima seria um homem de aproximadamente 40 anos. o Hospital Regional tem atualmente 27 pessoas internadas com o novo coronavírus.

O número de casos de covid-19 tem sido cada vez maior no Município. No entanto, registros de aglomerações e pessoas sem máscaras ocorrem normalmente, como se nada de diferente estivesse acontecendo na cidade.

Se a população paraisense e da região não colaborar, é possível que as prefeituras municipais tenham que tomar novas providências, deste vez mais enérgicas, para conter o aumento dos casos do novo coronavírus.

Caso isso ocorra, a população terá sido a única responsável por não respeitar as normas até agora decretadas.

É concreta a proposta dos gestores de manter o comercio funcionando em Paraíso e região. Porém, se não houver diminuição dos casos, a necessidade de proteção à vida poderá provocar a tomada de medidas indesejáveis, por exemplo, o confinamento, ou lockdown, como é mais conhecido.

Chegar a esse momento seria um sério problema à economia e um desastre aos empresários.

1 COMENTÁRIO

  1. É necessário que o poder público com financiamento Federal ,Estadual e Municipal forneça alimentos para as famílias isoladas durante 14 dias. Isolamento de toda família que tenha ao menos um caso suspeito ou já confirmado de covid-19 por exames, pois todos os moradores de uma casa passam a ser potenciais disseminadores assintomaticos para toda a comunidade. Não adianta isolar só o que já está doente. Agora falam que vai destruir a economia . Temos que defender a vida das pessoas em primeiro lugar. Se comercio, indústria entrarem em crise, o povo VIVO E COM FORÇA DO TRABALHO AJUDARÁ A RECONSTRUIR. SÓ NÃO TEM JEITO DE DEVOLVER É A VIDA DE UMA MAE, PAI, AVOS E FILHOS QUE MORREM. PENSEM NISSO. É PRECISO TAMBEM REDUZIR OU SUSPENDER IMPOSTOS, TAXAS, ENERGIA ,AGUA E DIVIDAS DE EMPRESTIMOS BANCARIOS ETC. QUEM PUDER VAI ACRESCENTANDO SUGESTÕES.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui