Quatro pessoas suspeitas por tráfico de drogas são presas durante ação em Araguaína

0
55

Quatro pessoas suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas foram presas na tarde desta terça-feira, 21, em Araguaína durante ação deflagrada pela 2ª Divisão de Especializada de Combate a Narcóticos (2ª DENARC), daquela cidade. Comandada pelo delegado-chefe da unidade antidrogas, José Anchieta de Menezes Filho, a ação foi realizada na Praça das Bandeiras, próximo ao Mercado Municipal e resultou nas prisões de dois homens de 22 anos cada, uma mulher de 42 anos, além de outra suspeita de 21 anos.

Durante a ação, que foi realizada após investigações da 2ª DENARC apontarem que indivíduos estariam utilizando a praça como ponto de venda de drogas, os policiais civis foram até o local e além das prisões, também localizaram e apreenderam dezenas de porções de maconha já embaladas e prontas para a venda, bem como, porções maiores da mesma droga. Também foram apreendidos R $357 reais, proveniente da venda de entorpecentes.

Um adolescente de 16 anos que também estava no local e auxiliava na venda do entorpecente foi apreendido por ato infracional análogo ao tráfico de drogas.  Segundo o delegado Anchieta, as investigações sobre o caso tiveram início há algumas semanas quando os policiais civis da 2ª DENARC flagraram um intenso movimento de usuários nas proximidades dos referidos locais, em busca de adquirir drogas com os investigados.

Desse modo, foi feita a incursão no local, onde foram flagradas as situações que caracterizam os crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Todos os presos foram conduzidos até a sede da 2ª DENARC, onde foram ouvidos e autuados por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Após a realização das providências legais cabíveis, os dois indivíduos foram encaminhados a Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário. As duas mulheres presas foram recolhidas na Unidade Prisional Feminina de Babaçulândia. Todos permanecerão à disposição da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui