Forças de segurança do TO recebem treinamento operacional de atendimento pré-hospitalar tático

0
50

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSPTO), em parceria com a Secretaria de Operações Integradas (SEOPI) do Ministério da Justiça, promove o treinamento operacional com Atendimento Pré-hospitalar Tático (APH – Tático) para 60 integrantes das forças de segurança, divididos entre policiais da Civil (PCTO) e Militar (PMTO). A capacitação teve início nesta segunda-feira, 18, com aulas teóricas na Cidade da Polícia, em Palmas, e segue nos dias 19 e 20 com aulas práticas na Escola Superior da Polícia Civil (Espol-TO).

De acordo com o secretário da Segurança Pública do Tocantins, Cristiano Sampaio, os policiais atuam em diversos locais de difícil acesso e precisam ter capacidade para o primeiro atendimento em casos de acidentes e confrontos nas operações. “Este treinamento visa criar condições e preservação da vida de nossos servidores, tornando uma polícia preparada e capacitada para atuar nas mais diversas situações de combate à criminalidade”, defendeu.

Segundo a delegada Geral da Polícia Civil do Tocantins, Raimunda Bezerra, o curso veio de encontro à essencial emergência no caso de vítimas durante as operações. “Uma iniciativa que visa cuidados imediatos aos nossos agentes em operação, quando um policial é baleado, lesionado, ou vítimas civis, até chegada do socorro médico”, frisou.

A necessidade do treinamento para Atendimento Pré-hospitalar Tático surgiu com o avanço das operações nacionais integradas, como exemplo, a operação Hórus, em que forças de segurança do Brasil atuam no combate à criminalidade nas divisas. Segundo a representante da Secretaria de Operações (SEOPI) do Ministério da Justiça, Andreia Sales, a proposta de estágio operacional tem o objetivo de dá condições de sobrevida em caso de acidentes e suas consequências. “É muito importante que esses operadores de segurança estejam aptos a salvar vidas, dando condições para a vítima sobreviver à chegada do atendimento hospitalar especializado”, ponderou.

Ministrando o treinamento, o médico da Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCRJ), Leandro Castro, destacou os detalhes do treinamento que visa proteção aos agentes policiais em cumprimento de seus deveres e de terceiros. “Como se socorrer e ao seu companheiro de trabalho, assim como os terceiros em situações de risco durante as operações. São casos em que marginais podem efetuar disparos contra os policiais, podendo estar distante do hospital, sendo emergencial o controle da hemorragia e tratamento de lesões. O curso aborda uma série de técnicas, conhecimentos e equipamentos, transporte de feridos com qualidade e rapidez, sempre com o intuito de dá sobrevida à vítima”, frisou.

O coordenador de operações do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), Ariston Ribeiro de Araújo, acredita que o treinamento pode proteger e salvar vidas. “Nós, policiais, estamos expostos a diversos riscos, principalmente nas operações, podendo ser feridos. Mas, podemos aperfeiçoar e aprender os procedimentos, adquirindo conhecimentos para garantir a sobrevida dos nossos companheiros de trabalho”, ressaltou.

A tenente-coronel Melissa Vasconcelos também avaliou o treinamento que oferece conhecimentos para a realização de procedimentos de emergência. “Para nós, da Polícia Militar, é muito importante, pois atuamos diretamente nessas operações, colocando em risco nossa integridade física. Contudo, é preciso conhecer essas técnicas que podem salvar vidas. Esse curso engrandece e enriquece nosso conhecimento”, considerou.

O treinamento de APH – Tático segue nesta terça-feira, 19, e quarta-feira, 20, com aulas práticas na Escola Superior da Polícia Civil (Espol-TO).

SSP – TO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui