Homem condenado por homicídio em Gurupi é preso pela Polícia Civil em Goiânia

0
48

Um homem de 25 anos, condenado a 19 anos de prisão pela prática do crime de homicídio foi preso por policiais civis da 3ª Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (3ª DHPP), de Gurupi, coordenados pelo delegado-chefe da unidade Hélio Domingos de Assis, na manhã desta terça-feira, 19, na cidade de Goiânia (GO).

De acordo com a autoridade policial, o crime ocorreu em fevereiro de 2018, quando o homem preso hoje, na companhia de mais quatro pessoas, teria efetuado vários disparos de arma de fogo contra um rapaz, na cidade de Gurupi. Na oportunidade, a vítima, que estava em um veículo, acompanhada da namorada, foi atingida por tiros no tórax e também na cabeça e acabou indo a óbito.

Durante a fuga, os criminosos colidiram o veículo em que estavam com uma viatura da Polícia Militar, mas conseguiram fugir. Após investigações da 3ª DHPP, todos os envolvidos no homicídio foram identificados e presos, sendo que no último dia 21 de setembro, os seis criminosos foram julgados e condenados a penas que variam de 19 a 31 anos de prisão.

“Por meio das investigações, conseguimos esclarecer todos os fatos e identificar os autores do crime, que foi cometido por disputa entre integrantes de organizações criminosas rivais, sendo que, na manhã de hoje [terça-feira, 19], foi efetuada a prisão do autor dos disparos que mataram a vítima, que foi condenado no dia foi o indivíduo localizado e preso nesta terça-feira”, afirmou o delegado.

Após ser preso, o homem foi autuado pelo crime de uso de documento falso e recolhido à Unidade Penal de Goiânia, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. Segundo o delegado-chefe da 3ª DHPP, a captura do último envolvido no caso encerra a atuação da Polícia Civil do Tocantins em relação à prática do crime.

“Com a prisão deste homem, já condenado por efetuar os disparos que ceifaram uma vida, a Polícia Civil do Tocantins encerra as investigações apresentando, de forma eficiente, uma resposta à sociedade”, reiterou a autoridade policial.

SSP – TO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui