Cem anos do rádio no Brasil: a evolução dos aparelhos de rádio

0
104
DIVULGAÇÃO

Do cristal de galena à era da convergência tecnológica, o rádio percorreu um longo caminho. E os modos de ouví-lo também foram ganhando novos contornos.Nas primeiras décadas do século vinte, as famílias se reuniam em torno do aparelho de rádio: um móvel central nos lares que tinham o privilégio de possuí-lo.

A Era de Ouro do rádio, nos anos 1940, foi marcada pela enorme audiência e por  inovações em seu dispendioso processo de produção.

A Invenção do rádio: você sabia que o rádio foi inventado por um brasileiro?
DIVULGAÇÃO

Escutar rádio era, então, uma experiência coletiva e familiar. Reunir-se em torno do aparelho  e apreciar a música, a informação, o esporte ou os programas de entretenimento era um ritual raramente realizado individualmente.

A evolução dos modos de consumo do rádio está diretamente relacionada às mudanças pelas quais passaram a tecnologia  e os dispositivos de transmissão da informação.

O transístor foi criado por Willian Shockley, John bardeen  e Walter Brattain em 1947,  nos Estados Unidos. A partir de então, o rádio deixou de ocupar o centro das salas de estar e passou a acompanhar os ouvintes em seus deslocamentos.

História do Rádio – Espaço do Conhecimento UFMG
DIVULGAÇÃO

O consumo de rádio passa a incorporar também, além da mobilidade, a escuta individual. O surgimento da televisão o  deslocou da posição de principal aparelho para o consumo familiar.

Os anos 1970  e 1980  foram marcados por novas mudanças nos hábitos de consumo radiofônico. Os aparelhos se transformaram em dispositivos híbridos que conjugavam também toca-discos e toca-fitas. Tornaram-se populares os conjuntos 3 em 1 e os walkmans portáteis.

Atualmente, os telefones celulares conectam o ouvinte à diversas possibilidades de escuta via internet.  A adequação às possibilidades e demandas da internet tem gerado um novo rádio.

Rádio Portátil Boombox Lenoxx 5W Bluetooth Rádio FM e CD Player BD1370 -  Bivolt - Moveis Linhares
DIVULGAÇÃO

O ouvinte-internauta participa de forma ativa e imediata da produção de conteúdos. Ele pesquisa, questiona e contesta a informação que consome.

As cartas à redação, que levavam dias até chegar ao seu destino, hoje são recebidas instantaneamente por diversos meios tecnológicos, alterando de forma significativa  a produção dos conteúdos radiofônicos.

AGÊNCIA BRASIL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui