Saúde alerta para aumento de casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

0
391

A Secretaria de Estado da Saúde registra aumento de 344,5% dos casos notificados de Dengue neste início de ano no Estado.  De acordo com a Gerência de Vigilância Epidemiológica das Arboviroses, em 2018, no Tocantins foram notificados 382 casos de dengue em janeiro, este ano nos primeiros 19 dias já foram contabilizados 1.698 casos.

Nos hospitais estaduais foram atendidas 723 pessoas neste período com sintomas relacionados às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. No Hospital Geral de Palmas (HGP), mais de 100 pessoas receberam assistência médica devido a suspeita de dengue (67 casos), chikungunya (17 casos) e Zika (17 casos).

Diante deste cenário, a Secretaria alerta que no período de chuvas aumenta o risco de transmissão da chikungunya, dengue e Zika. Diante desse contexto, a melhor maneira de prevenir essas doenças é evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti eliminando água armazenada em locais que possam se tornar possíveis criadouros do mosquito, como vasos de plantas, pneus, garrafas retornáveis, calhas etc.

As doenças transmitidas pelo Aedes se tornaram, nos últimos tempos, um grande problema de saúde pública devido ao grande número de notificações e alto índice de adoecimento da população. No caso da dengue, sua forma mais complicada é a dengue grave (conhecida popularmente como dengue hemorrágica), a chikungunya pode deixar sequelas por toda a vida de uma pessoa, e a Zika pode trazer complicações neurológicas em casos mais graves.

O biólogo em saúde, Evesson Farias de Oliveira, explica a maneira mais adequada para evitar complicações quando se fala de dengue. “A forma mais eficaz de evitar o agravamento dos pacientes é o diagnóstico oportuno e o atendimento adequado diante de um caso suspeito. Esta última ação se dá, principalmente, dentro das unidades de saúde. Considerando que a melhor estratégia é o combate imóvel a imóvel, pois as residências respondem por 80% dos focos encontrados, dessa forma, a população acaba sendo a principal responsável pelo enfrentamento ao mosquito.”, afirmou.

Fumacê

Diante do aumento dos casos notificados o governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde está disponibilizando carros fumacê para da aplicação do inseticida Ultra Baixo Volume (UBV) pesado, conhecido como fumacê, nas regiões com alto índices da circulação viral nos municípios de Palmas (02 veículos) e Porto Nacional (03 veículos). Esta é mais uma medida de prevenção que deve ser somada a eliminação de criadouros.

Ações

O governo, por meio da Secretaria da Saúde (SES), tem monitorado intensivamente a situação epidemiológica das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti nos últimos anos.

Dentre as ações desenvolvidas pela secretaria em 2018 estão atualização dos protocolos junto às equipes das Unidades Básicas de Saúde de diversos municípios tocantinenses; envio de alertas sobre o período epidêmico e solicitação da adoção das ações preconizadas no que se refere à vigilância de casos, controle vetorial e mobilização social; disponibilização dos dados aos municípios quanto à situação epidemiológica, incluindo casos prováveis, circulação viral, e casos graves; investigação de todos os óbitos suspeitos de arboviroses para identificação das causas, gerando aprendizado e direcionamento das discussões durante as capacitações; monitoramento da realização dos ciclos de visitas dos agentes de endemias no combate ao Aedes; incentivo à mobilização social pelos municípios com apoio da Sala Estadual de Coordenação e Controle para o Combate ao Aedes (SECC-TO); treinamento quanto ao uso do sistema oficial de monitoramento das visitas domiciliares para os 139 municípios; e treinamento e distribuição de testes rápidos de dengue, Zika e chikungunya.

Ações preventivas:

Segue alguns cuidados que a população deve ter para evitar a proliferação do mosquito Aedes:

– O compromisso com o combate ao Aedes deve ser semanal. Use a agenda de seu smartphone para lembrar de fazer uma inspeção em sua casa.

– Procure os representantes de bairros para promoverem atuações conjuntas, e não individuais, de eliminação de criadouros.

– Suspeite de qualquer objeto ou estrutura que possa acumular água.

– Ao realizar uma atividade de inspeção, é preciso atentar-se aos sinais indiretos da existência de depósitos como: infiltrações, odores característicos, presença do mosquito adulto e estado da organização e limpeza do ambiente.

Sintomas:

Dengue

Febre alta; dores musculares intensas; dor de cabeça; dor ao movimentar os olhos; e manchas vermelhas pelo corpo.

Chikungunya

Febre alta; dores intensas nas articulações; inflamações nas articulações; e dores no corpo.

Zika

“Vermelhão” em todo o corpo com muita “coceira”; febre baixa, muitas vezes não sentida; olhos vermelhos sem secreção; e dores nas articulações (mais brandas do que em chikungunya).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui