Na ONU, Bolsonaro diz que Sérgio Moro é símbolo de seu País

0
463

Da Redação: Portal Benício

Durante discurso de abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas – ONU, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fez um relato sobre os problemas e a soberania do País, e destacou a ação do ministro, e ex-juiz, Sérgio Moro, contra a corrupção.

Segundo o Presidente, o ministro da Segurança Pública, Sérgio Moro, é um símbolo de seu País por tudo que tem feito contra a corrupção. Foi, Moro, segundo Bolsonaro, que investigou, puniu e prendeu os corruptos que recentemente consumia o Brasil.

Com o discurso de elogios a Moro, o Presidente deixa claro que não existe nenhum problema entre ele e o Ministro, como quer parte da mídia brasileira, a quem Bolsonaro acusa de ter se beneficiado dos recursos do País.

Bolsonaro deixou claro que o Brasil está aberto às parcerias pela preservação da Amazônia, desde que respeitada a sua soberania. Ele ainda destacou a produção do País e o interesse em se manter parceiro da ONU e dos países que a compõem.

“Em meu governo, o terrorista italiano Cesare Battisti fugiu do Brasil, foi preso na Bolívia e extraditado para a Itália. Outros três terroristas paraguaios e um chileno, que viviam no Brasil como refugiados políticos, também foram devolvidos a seus países.

Terroristas sob o disfarce de perseguidos políticos não mais encontrarão refúgio no Brasil.

Há pouco, presidentes socialistas que me antecederam desviaram centenas de bilhões de dólares comprando parte da mídia e do parlamento, tudo por um projeto de poder absoluto.

Foram julgados e punidos graças ao patriotismo, perseverança e coragem de um juiz que é símbolo no meu país, o Dr. Sergio Moro, nosso atual Ministro da Justiça e Segurança Pública.

Esses presidentes também transferiram boa parte desses recursos para outros países, com a finalidade de promover e implementar projetos semelhantes em toda a região. Essa fonte de recursos secou” disse o Presidente Bolsonaro.

Ele ainda denunciou a ideia de manipular as crianças em relação à ideologia de gênero que, segundo Bolsonaro, “essa ideologia sempre deixou um rastro de morte, fome e miséria por  onde passou” e lembrou seu caso ao ser esfaqueado em Minas Gerais. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” citou a Bíblia.

O evento reúne líderes de 173 países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui