UFT é finalista em prêmio por aplicativo de saúde mental

0
221

ASCOM

O aplicativo Mais um Dia, desenvolvido por um grupo multidisciplinar da Universidade Federal do Tocantins (UFT), está entre os finalistas do Prêmio Autocuidado em Saúde da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para o Autocuidado em Saúde (Acessa). O produto é um dos destaques na categoria ”Comunicação em Saúde e Autoconhecimento”.

Hareli Cecchin, servidora do Câmpus de Miracema e coordenadora do Grupo de Trabalho e Inovação em Saúde Mental do Estudante (Getisme), ressalta o quão gratificante é perceber a dimensão que seu trabalho tomou: ”Eu me sinto extremamente feliz e muito grata à instituição. Me sinto também  muito esperançosa que, a partir de todo esse reconhecimento, nós vamos conseguir mais recursos para tocar e manter o projeto funcionando e avançar ainda mais”.

Esse trabalho se concretizou graças à equipe composta por Alice Agnes Spíndola Mota Pinho, Hareli Fernanda Garcia Cecchin, Marta Romilda Spíndola Mota, Sidiany Mendes Pimentel, Humberto Martins e Felipe Leite.

”A ideia do aplicativo surgiu a partir de uma pesquisa da professora do curso de Jornalismo, Alice Agnes, sobre o sofrimento mental dos estudantes e da minha pesquisa de doutorado sobre fatores de risco associados a ações suicidas em estudantes”, esclarece a servidora. ”Os estudantes utilizam muito o celular, fazem bastante uso de tecnologias, ou seja, é mais fácil oferecer informações sobre saúde mental, dessa forma, aos estudantes’.

O aplicativo

O app Mais um Dia começou a ser desenvolvido durante a pandemia de Covid-19 para ser ”um aplicativo de saúde mental voltado para estudantes universitários, principalmente, em que o foco é oferecer informações de saúde mental e dicas, estruturar um espaço para o estudante ser acolhido por profissionais de saúde e reunir também informações do Programa Auxílio Saúde”, explica Hareli.

O auxílio citado é ofertado semestralmente pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proest) para que estudantes recebam ajuda financeira para fazer psicoterapia e tratamento médico.

Outro destaque do aplicativo é  a reunião de informações de profissionais que ofertam psicoterapia por um valor mais em conta para o estudante. ”Então, basicamente, oferecemos informações numa linguagem mais jovem e de forma mais acessível”, conclui Hareli Cecchin.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui