Bolsonaro vai à Polônia neste ano

0
132

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou, na tarde de hoje (4), no Palácio do Planalto, com o ministro das Relações Exteriores da Polônia, Jacek Czaputowicz. Após a reunião, que contou com a participação do chanceler Ernesto Araújo, o presidente afirmou que visitará o país europeu este ano.

Ver imagem no Twitter

“Visita do chanceler Jaceck Czaputowicz. Confirmei ida à Polônia no corrente ano”, publicou Bolsonaro em sua conta oficial no Twitter. Ele não informou quando pretende fazer a viagem, mas ela deve ocorrer ainda no primeiro semestre.

Mais cedo, o chanceler polonês se reuniu com o ministro brasileiro da Relações Exteriores no Palácio do Itamaraty. Em 2020, Brasil e Polônia celebram 100 anos de relações bilaterais. Em declaração conjunta, Ernesto Araújo e Jacek Czaputowicz afirmaram que foram debatidas possibilidades de cooperação nas áreas de defesa, ciência e tecnologia e educação.

A nota também enfatiza a defesa da liberdade religiosa e reivindica que “foros e organismos internacionais reflitam a vontade das nações que os integram, respeitando suas identidades e favorecendo assim sua convivência soberana em busca da paz e prosperidade”.

Conservadores

A Polônia, que integra a União Europeia, é atualmente governada pelo Partido da Lei e Justiça (PiS), que desenvolve uma agenda conservadora no país desde 2015. Eles foram reeleitos no ano passado para mais um mandato à frente do país.

Além da Polônia, o presidente Jair Bolsonaro também já manifestou o desejo de visitar a Hungria, governada pelo ultraconservador Vikton Orbán, que já recebeu em Budapeste, capital do país, o própio chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

Comércio bilateral

A Polônia ocupa a 44ª posição no ranking de exportações do Brasil. O fluxo de comércio (importações e exportações) entre os dois países foi de US$ 1,37 bilhão em 2019, com saldo comercial favorável ao Brasil. A economia brasileira exporta principalmente minério de ferro e farelo de soja, enquanto os poloneses vendem ao Brasil medicamentos, peças de automóveis, entre outros produtos manufaturados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui