Polícia Civil prende suspeitos de estelionato após crimes e perseguição em Paraíso do Tocantins

0
244

Rogério de Oliveira

Na tarde desta quinta-feira, 6, a Polícia Civil do Tocantins, por intermédio de uma força tarefa composta por policiais civis da 61ª, 63ª e Central de Atendimento da Polícia Civil de Paraíso do Tocantins do Tocantins, prendeu dois indivíduos, os quais  tinham acabado de praticar crimes (furto qualificado e estelionato) na cidade.

De acordo com o delegado José Lucas Melo, um dos delegados responsáveis pelas prisões, um homem de 34 anos e outro de 31 anos utilizaram documentos e cartões bancários falsificados para fazer saques em bancos e efetuar o financiamento de um carro.

Ainda conforme o delegado José Lucas, as investigações haviam sido iniciadas pela equipe de policiais civis da 61ª DP, há alguns dias, pois havia fortes indícios de que os dois homens tinham envolvimento com a criminalidade, em Paraíso. “Com a intensificação das diligências, conseguimos localizar o paradeiro dos dois suspeitos quando saiam de uma agência, onde utilizaram documentos falsos para financiar um veículo de aproximadamente R$ 50 mil reais. Dessa forma, ao receberem voz de prisão os suspeitos empreenderam fuga, gerando perseguição pela cidade”, disse o delegado.

Após vários minutos de intensa perseguição pelas ruas e avenidas da cidade, os suspeitos, na tentativa de escaparem da Polícia Civil, jogaram o veículo que conduziam contra a viatura da Polícia Civil, mas graças à habilidade do policial que conduzia o carro, não houve maiores danos e logo depois, eles foram detidos já na BR-153, sendo que com eles ainda foram encontrados diversos cartões bancários falsificados e a quantia de R$ 7.768,40, em espécie.

Diante dos fatos, os dois homens foram detidos e conduzidos até a Central de Atendimento da Polícia Civil, em Paraíso, onde foram autuados por receptação e estelionato. Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, eles foram recolhidos à carceragem da Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui